Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Divagando...Saudade vazia...

Hoje ao acordar, meu primeiro pensamento estava com meu querido Amigo, meu irmão de jornada redentora...
Uma tristeza infinita, dolorida me apertava o peito, pois àquele que um dia conheci, jovem, forte cheio de vida interpunha-se às minhas lembranças com a atual, repleta de angústia.
Choro,sim, sofro muito por vê-lo agora nesse grande sofrimento...
Oh! Meu Deus, como é difícil assistir o definhar de um coração amigo e muito querido...
Seus olhos já não espelham aquele brilho antigo, que me transmitia sua alegria pela vida, seus lábios onde sempre brincava um sorriso, não mais o encontro, mas sim um rito de amargura a expressar seu sofrimento interior...
Suas mãos, agora, frágeis, não mais apertam as minhas com calor, transmitindo o seu carinho, estão débeis, sem vida, como uma flor que começa a murchar...
Sim, é muito triste sentir sua entrega ao desânimo...mas, que digo eu, se a luz de sua vida, a cada dia se definha, levada, sorrateiramente, pela doença...
Eu queria ter o poder de recuperá-la, porém a mim nada mais cabe fazer, a não ser olhar em seus olhos tristes e cansados e transmitir lhe o imenso amor que me vai na alma e sorrir, um sorriso falso, buscando esconder minha dor e alegrar sua alma que aos poucos se esvai...
Esperança, onde você se esconde? Eu preciso muito de você, para agasalhar o coração desse querido Amigo.
Venha de onde estiver, por um instante apenas e juntas vamos aliviar, um pouco que seja, a dor desse amado irmãozinho...
Ah, sabe o que me veio à mente agora?
A lembrança de quando surgia em nosso caminhar uma mudança, destas que a vida nos traz de repente, como um ladrão, que surge meio à noite e nos rouba um grande bem, cantávamos juntos:
“Saudade, quanta saudade,
Do tempo em que eu não sabia,
Que esta palavra Saudade,
Infelizmente existia.”
E, hoje, ao relembrar o ontem, apenas posso chorar:
“Saudade, lâmpada acessa
No altar da recordação,
Onde a ternura e a tristeza
Rezam à mesma oração.”
Deus o abençoe!
maristella barros
Enviado por maristella barros em 11/10/2007
Reeditado em 26/06/2008
Código do texto: T690548

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
maristella barros
Amparo - São Paulo - Brasil
82 textos (2997 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 00:35)
maristella barros