Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ÁGUAS CRISTALINAS

As águas cortam o rio,

Descem suavemente seu leito,

Batem em galhos...

Arrastam folhas, batem em barrancos

Descem suavemente sem freio.

O rio lhe apalpa com carinho

Ás vezes colhe chuvas,

Pessoas em desaminhos

Colhe lixos e bichos,

E a águas seguem seu caminho...

Enquanto o passante observa,

O desenho de um rodamoinho.

Crianças chorando, crianças sorrindo...

Mas segue a vida do rio,

Muitas vezes queria parar...

Não por ser cansar,

Mas queria ver a paisagem

Com calma contemplar

O que esta a sua volta,

Ser o centro o rio...não ser revolta,

Apenas ser mansa,

Já que não és tão linda...

Também deixou de ser menina

Deixou de se pura...

Tanto caminhou...

Não sorriu nem chorou

Morreu e não gritou

Apenas perdeu a beleza

Cheiro que se sente de longe

E triste fica...

Pela ignorância dos homens

Que lhe roubou a nobreza

Sonhos de menina,

Que um dia foi... tão bela e cristalina.
 

AUTOR: MARCO ANTONIO OLIVEIRA QUEIROGA 
17/11/2007                    19:00HS

 



MARCOS ANTONIO O QUEIROGA
Enviado por MARCOS ANTONIO O QUEIROGA em 17/11/2007
Reeditado em 17/11/2007
Código do texto: T741226

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (www.marcoantonio.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
MARCOS ANTONIO O QUEIROGA
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
449 textos (43233 leituras)
3 áudios (371 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 10:07)
MARCOS ANTONIO O QUEIROGA