Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Caçador de Lembranças


04 de Junho de 2002

O seu dia. Ainda me lembro. O movimento das pessoas, o sorriso estampado em seu rosto, o início do ritual..... O apagar das luzes, o acender da chama e a música, ritmada e alegre.

O encerrar de um ciclo ao final da música, o início de outro ao apagar da chama e ao acender das luzes. Abraços, presentes, palavras de carinho. Tudo seu.

Um olhar cúmplice explica......ali, diante de todos, você não seria presenteada como poderiam esperar. A certeza de confiança em seus olhos me fez sorrir.............te surpreender não é tão simples........mas eu conseguiria........sim, eu conseguiria.

O palco da surpresa já estava pronto. Rememorei tudo que havia planejado, tentando lembrar de algum detalhe porventura esquecido.....não...tudo estava de acordo.

A mesa na varanda, o ambiente aconchegante. Pouca luz, já que a noite se encarregaria disso. O vinho, os aperitivos, tudo escolhido de acordo com seu gosto. Gosto que eu tantas vezes pude comprovar.

Na mesa, uma chave, que te prendeu a atenção desde que chegamos. A pergunta inevitável ficou sem resposta......ainda não...a noite estava apenas começando.

Um brinde, depois outro...o mistério do ambiente aguçando sua curiosidade. O cenário se apresentava diferente de tudo que você havia conhecido......seria um Open Bar? Um restaurante exótico? Por que não viu fachada e por que a varanda, tão bonita, ficava imperceptível da entrada principal?

Te convidei então para conhecer o local.....chave nas mãos. Alguns ambientes, casais imersos em suas cumplicidades, algumas escadas, ocultas para olhos pouco observadores.

O caminho até então oculto, se apresentou diante de seus olhos. Um meio sorriso se formou em seus lábios....a porta, o ambiente privado e a caixa em cima da cama, despertou a sua imediata atenção. Em formato de coração, vermelha, do tamanho das minhas vontades.

Me apressei em abri-la, expondo seu conteúdo. Em seu interior, pequenas caixas e um bilhete. No bilhete, em letras douradas os dizeres “Existe 12 formas de amar....descubra!!”.

Acompanhei o sorriso maroto em seus lábios ao abrir a primeira caixinha, revelando em seu interior o doce amargo sabor de um bombom e um bilhetinho oculto. Você descobriu tratar-se da 1ª forma de amar. Me olhou indecisa,  se deveria continuar abrindo as caixinhas ou.............não precisou esperar, me adiantei em tornar a fantasia uma realidade.

A cada caixinha aberta, um bombom, um bilhete e um pedido.

Lembro-me ainda de sua decepção ao identificar que a cor, por você escolhida esta noite, não correspondia a um dos meus pedidos.....revelei então, que de nada havia esquecido e te presenteei. O sorriso de aprovação se misturou a surpresa pela ousadia do modelo escolhido.

Novos pedidos foram sendo lidos e vivenciados, até a 11ª caixinha.

Esperei........a pergunta viria.......eu sei, ninguém jamais me conheceu tanto quanto você!!

A pergunta veio, com um brilho em seus olhos: “qual a 12ª forma de amar, já que abri apenas 11 caixinhas?”

Ahhh, como eu ensaiei a forma de responder isso!!! Sentia a necessidade de um último mistério, para ter a convicção que você realmente me conhecia!!

As palavras saíram naturalmente, como se tivessem sido criadas naquele momento...”Eu abri a porta dos sonhos. Você entrou sem olhar para trás......retorne e decida qual caminho seguir”.

As dúvidas iniciais em seu semblante logo se desvaneceram, ao entender as minhas intenções. Em questão de segundos, a tampa da caixa de coração estava em suas mãos, com a parte interna revelando uma caixinha colada em seu interior. Diferente das outras, era dourada. A mesma cor que o portador de sonhos usou, ao escrever um bilhete.......

Observei seus movimentos ao abri-la. Precisaria de suas palavras para completar esse trecho....o que vi, foi emoção....ou meu semblante em um espelho.

Nenhum bilhete, nenhum pedido, apenas a revelação da 12ª forma de amar, materializada em duas jóias,  unidas por um fio transparente.
 

06 de Julho de 2007

Há cinco anos atrás, a porta se fechou por dentro. Depois foi aberta..... e assim está........

O dia 04 de junho continua sendo seu......o ano de 2002, uma lembrança prazerosa.

O calendário da vida agora é meu e novas datas gravarão lembranças no futuro....

Saudades do passado? Sim, eu tenho...... um Caçador de Lembranças tem dessas coisas......





Fernando Antonio Salvador
Enviado por Fernando Antonio Salvador em 02/12/2007
Código do texto: T761771

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Fernando Antonio Salvador
São Paulo - São Paulo - Brasil
7 textos (477 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 18:22)