Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Humildade!

No capítulo 3 do Evangelho de João, achamos a história de um homem que não conseguia ser feliz, apesar de estar na igreja, e ter abundante conhecimento bíblico. Esse homem cumpria aparentemente todas as normas, esforçava-se para ser um bom membro de igreja, tinha até um cargo de liderança; mas alguma coisa estava errada com ele. Experimentava uma sensação de vazio na alma, faltava alguma coisa em sua vida. O pior é que nem ele sabia definir o que! A palavra de Deus nos faz o seguinte relato:
            "E havia entre os fariseus um homem
           chamado Nicodemos, príncipe dos judeus.
         Este foi ter de noite com Jesus e disse-lhe:
       - Rabi, bem sabemos que és mestre vindo de Deus,
     porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes
                   se Deus não for com ele.
                 Jesus respondeu e disse-lhe:
             - Na verdade, na verdade te digo que
           aquele que não nascer de novo não pode ver
                o Reino de Deus."(João3.1-3)
Nicodemos, sabia onde encontrar Jesus, sabia como falar com Jesus, encontrá-lo e dizer: Senhor, estou perdido, ajuda-me! A presença do Senhor próximo a Nicodemos, lhe assegurava que ele poderia abrir o coração prá Jesus, dizer ao Senhor sobre as suas incertezas, insegurança, o vazio que havia em sua alma. No entanto, o seu orgulho falou mais alto, e o registro no verso 3, expressa o falar fora de sintonia com o coração. Mas o Senhor olha para o homem, "... e vê o coração do homem..."(Rm8.27).
Eu acredito que Jesus naquele momento, tenha manifestado alguma coisa, como; "Ô Nicodemos, porque não fala o que realmente sente." Naquele momento, ou melhor, naquele encontro de Nicodemos com Jesus; era o encontro real e verdadeiro da certeza com a incerteza, da resposta com a dúvida, da alegria com a tristeza, da força com o desânimo, da plenitude com o vazio, da renovação com o tradicionalismo velho, arcaico. Sim, porque Jesus estava se referindo à obra da regeneração, da renovação, de um novo nascimento interior.
Jesus Cristo, o Filho de Deus, verdadeiro homem e verdadeiro Deus, não cultivou o espírito orgulhoso e altivo, mas o espírito de humildade. O orgulho de Nicodemos afugentou os sentimentos que nutria de infelicidade apesar de toda a sua religiosidade. O que cada um de nós precisa fazer é erguer os olhos para aquela cruz que foi erguida no Calvário, e saber que o exemplo está aí diante de nós. Jesus abandonou a sua glória para nos servir. Dar-nos o perdão dos pecados e salvação eterna.


deleialves@bol.com.br
delei-a_alves@hotmail.com
Delei Alves
Enviado por Delei Alves em 18/05/2006
Código do texto: T158256
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Delei Alves
Rancharia - São Paulo - Brasil, 60 anos
249 textos (11552 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 00:44)
Delei Alves