Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Gênesis 22:7-8 (Deus proverá)

“Então lhe perguntou Isaque: Eis o fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para o holocausto?
Respondeu Abraão: Deus proverá para ti, meu filho, o cordeiro para o holocausto; e seguiam ambos juntos.”

O capítulo 22 do livro de Gênesis relata como Deus pôs Abraão à prova, pedindo seu filho Isaque em sacrifício. E como Abraão, embora triste, o ofereceu.

A chave do texto é a frase que Abraão diz como consolo para seu filho e si próprio, onde depositou suas últimas esperanças no Senhor: DEUS PROVERÁ.
Foi uma grande experiência que o patriarca teve que provou como ele amava e obedecia ao Senhor, e que contribui para aumentar ainda mais a fé que possuía.

Passaram-se quase 5.000 anos e este fato ainda acontece nos dias de hoje. Não deste modo, mas que serve como base para uma comparação impressionante.

Conheço um homem em Cristo que teve uma experiência semelhante: Por motivos pessoais foi obrigado a sair do emprego onde estava, o que acarretou em uma série de abandonos a compromissos e amizades. Já estava com o dinheiro contado para pagar suas dívidas, mas em um certo ponto, como era de se esperar, começou a acabar. E uma coisa que é típica do ser humano é a preocupação com o dinheiro. Estava incessantemente à procura de um novo trabalho e não encontrava, o que o levou quase à loucura. Aí entra Isaque: ele próprio estava sendo sacrificado, prestes a ser morto.

Mas como servo fiel de Jesus Cristo, ia todos os domingos assistir ao culto de uma igreja evangélica. E a frase que mais lembrava e estava gravada em seu coração era esta: Deus proverá.
Em oração pediu ao Senhor que o abençoasse com um emprego. Nesse momento já estava sendo provado.

Em uma outra ocasião, o pastor fez uma pregação na qual falava sobre o profeta Elias, que havia pedido em oração água, já que estava num deserto e não chovia há três anos.
Mas para isso ele teve que ofertar o que? Água. Ou seja, teve que se desfazer, abrir mão daquilo que era mais precioso e que estava em falta. Após o ato de fé, suas orações foram ouvidas e choveu grandemente.

A mensagem então é a seguinte: quem quer colher, plante, quem quer água, plante água, quem quer dinheiro, plante dinheiro.

Então colocou no envelope de dízimo uma das últimas notas que tinha, embora ainda houvesse contas a pagar, e fez sua oferta a Deus.
Nesse dia em que depositou o envelope e suas últimas esperanças, o tema principal da pregação foi que não ficássemos ansiosos por coisa alguma, que a gente descansasse no Senhor, e Ele iria trazer o livramento.

No dia seguinte, não na semana, no dia, a providência: o telefone toca, era uma loja o chamando para uma entrevista de emprego, fez a entrevista e logo foi contratado.

Resumindo toda a história: o Senhor nos concede uma tribulação, pede sacrifícios, aquilo que mais amamos ou precisamos. Então nos perguntamos:
__Onde está o cordeiro para o holocausto?
__Onde está o livramento para esta minha angústia?
Mas não sabemos que Deus proverá, e não temos paciência para esperar, por isso alguns enlouquecem e entram em depressão. Porém a fé é que leva a acreditar e oferecer o que Deus nos pede, embora não estejamos de acordo.

Ele não está preocupado com suas economias ou o quanto irá ofertar, Ele quer somente a nossa fé, o nosso amor e gratidão, a nossa obediência.
Ora, os seus mandamentos não são penosos. (1 João 5:3)

Textos que ajudam a reforçar este acontecimento:
1 Reis 18:20-46 (sobre Elias)
Mateus 6:31-34
Mateus 21:21-22
Marcos 12:41-44
Filipenses 4:6
Tiago 2:17
Apocalipse 3:20

28/06/11
Diego Lopes Macedo
Enviado por Diego Lopes Macedo em 29/06/2011
Código do texto: T3065310
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Diego Lopes Macedo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Diego Lopes Macedo
Sorocaba - São Paulo - Brasil, 22 anos
62 textos (9637 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/12/14 04:10)
Diego Lopes Macedo



Rádio Poética