Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Juizes 16 – 4 a 27 – Sansão de Palhaço a Vingador

Juizes 16 – 4 a 27 – Sansão de Palhaço a Vingador

Introdução
O que é Nazirado: Em nossa tradução Nazireu, mas para os judeus o termo em português é Nazir. As leis do Nazirado estão registradas em Números 6 do verso 1ao 27, era um voto que tinha data para acabar, e geralmente isto acontecia entre 25 e 30 anos, que era quando os jovens se casavam. Entre todas as coisas que eles tinham que tomar cuidado, as mais conhecidas são não tomar vinho e tocar em cadéveres humanos ou não. Um Nazireu podia o ser desde o nascimento, por voto dos pais. Sansão é um dos que conhecemos que o foi desde o nascimento, este por ordem de Deus em  visão aos seus pais. As funções de um nazireu era muito parecidas com a de um sacerdote, pois além de viver na congregação, ele podia também fazer os trabalhos  do templo e fazer sacrificios.

Sansão um jovem e seus deslizes

Sansão, cujo o nome hebreu Shimshon, significa Igual ao Sol, foi um jovem com outro qualquer. Alegre e comunicativo, fez amizades fora da cogregação. E mais tarde, teve mulhers fora da congregação.
Durante sua juventude Sansão viveu sua vida como quis. Mesmo sabendo das limitações impostas sobre ele por causa de seu voto, se permitiu tocar em um corpo decomposto para adquirir dali o mel, que serviu a seus pais.
Sansão é prova de que mesmo tendo planos para a vida de uma pessoa, Deus não interfere em sua vida.

Sansão – chamado 3 vezes para brincar

Vivendo sua vida a seu modo, Sansão, depois de uma desilusão amorosa, mais uma vez aposta em um relacionameto fora da sua congregação. Seus olhos caem sobre a bela Dalila. E justamente com ela Sansão se permitiu brincar.
Cuidado com que você anda brincando. É a uma boa técnica para destruir tua fé.
Dalila tanto fez que um dia Sansão dormiu com o coração contaminado e acabou por contar-lhe seu segredo. Então o Espírito de Deus se afastou de Sansão.
Ele foi capturado com facilidade, afinal sua força lhe fora tirada.
Furaram os olhos de Sansão.
Levaram-no cativo.
E, como herói de guerra destruído, ele passou a ser o palhaço da Filistia. Era chamado para intreter multidões de seus inimigos.
Sansão é o crente no mundo, que se afastou da congregação e os filisteus  é satanás que fica brincando com a vida deste. Aos poucos a vida vai em derrocada, os vícios, o crack, a família destruída, a pessoa tornou-se uma piada.
Só que eles tiraram os olhos de Sansão, mas o cabelo dele cresceu.
Sansão pede a Deus o Espírito Santo mais uma vez e o Senhor ouviu.

Sansão  – Uma  entrega total

Depois de ter sua oração atendida pelo Senhor, Sansão soube que sua força voltou. Ele conhecia a presença do Senhor.
Quando foi chamado para entreter os filisteus, Sansão, com seu plano de ação já armado, pede para ser levado aos pilares que segurava o lugar de culto de Dagom, o deus filisteus e, ali ele faz uma oração sacrificial, e ali faz sua entrega final. Ao balançar as colunas do templo e este ruir, diz a Bíblia que ele matou mais em sua morte, que em vida.
Sansão foi juiz de Israel por 20 anos.

A origem do pecado de Sansão

Pior erro estava no coração de Sansão. Não tomar coisa imunda, ter para si mulheres estranhas, beber bebidas fortes, cortar cabelo, expor segredo nada disto fez mal a Sansão. Não de forma isolada. O que Sansão esqueceu é que todo pecado tem consequência, seu mal estava no coração.

O teu maior inimigo não é satanás, é o teu coração. Afinal enganoso é o coração do homem: “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá? Eu, o SENHOR, esquadrinho o coração, eu provo os pensamentos; e isso para dar a cada um segundo os seus caminhos e segundo o fruto das suas ações.” (Jeremias 17 –  9 e 10).
Sansão estava achando o pecado tão normal, que agora ele pecava e fazia os outros pecar. Ele não disse aos seus pais a procedência do mel.

Pecado, pecadinho ou pecadão


Quando quer roubar você, satanás vai te apresentar o melhor, porém, é porque ele quer o teu segredo e para isto vai testar o teu coração.
Quando não reconheço que peco é porque o senhor está longe de minha vida.
Veja o caso de José do Egito. A mulher de Potifar, bonita, perfurmada, ficou asediando  ele, ali facilitando para ele pecar. O que fez ela se irar foi ser esnobada. Ela perturbou ele por muyito tempo, mas na hora que o atacou, ela descobriu que não tinha alcançado o seu oração, por isto se vingou, delatando-o com mentira ao seu esposo.
Quando você cái, é porque caiu lá atrás. É pelo que te atrái, é pelos piores segredos que o diabo opera, porque ele sabe que você não resiste aos seuis próprios desejos.
Dalila não destruiu Sansão; Sansão quebrou a aliança antes.

Pecado versus consequência

Todo pecado tem consequência. Deus perdoa os teus pecados, mas você vai colher as consequências.
Não existe pecado sem perdão. Não existe perdão sem arrependimento. Quem se arrepende, não comete o mesmo pecado. Mas a consequência viráe você vai ter que colher.
Nada fica pela sua juventude, sua dívida será somada e, depois, cobrada.
Não perca anoção do pecado – Quando você perde a noção do pecado é porque o Espirito Santo se afastou.

Conclusão
Imputando culpa aos outros

Culpando Dalila pelo pecado de Sansão, estamos tomando dele a responsabilidade por seus atos e ele estava consciente de suas escolhas.
Imputamos a culpa de nossos erros aos outros, isto torna mais fácil a nossa vida, mas não garante que estamos sem a culpa. Precisamos aprender a lutar contra nós mesmo, contar nossos desejos.
Quando vencer eu mesmo, garanto 90%  da minha vitória, pois diminuo 90% das minhas lutas.

Os que deixam o Senhor são palhaços. O mundo não é melhor, lá você vai ser o circo, o palhaço.
Você pode ser rei ou guerreiro e matar leão com as mãos, mas quando você não enxerga, você vira palhaço.
 
O povo se divertia agora ,pois Sansão era o Palhaço. O diabo quando consegue nos levar para o Mundo (circo) é para nos humilhar.
Deus nos faz Principes e as vezes caimos nos laços do inimigo e o Diabo se diverte por nosso sofrimento.

Sergio Carlos da Silveira
Sergio Carlos da Silveira
Enviado por Elisabeth Lorena Alves em 10/09/2011
Reeditado em 10/09/2011
Código do texto: T3211802
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Elisabeth Lorena Alves
São Paulo - São Paulo - Brasil, 46 anos
683 textos (142974 leituras)
1 e-livros (615 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/09/17 01:44)
Elisabeth Lorena Alves