Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Fim da série Rei Davi.

A história do Rei Davi foi passada no tempo em que Deus falava através os profetas, e o profeta Samuel, foi o intermediário entre os desígnios de Deus para a nação de Israel, foi dado ao rei Saul uma ordem e ele deixou de cumprí-la, ou cumpriu apenas em parte, apossou-se do direito de agir por vontade própria e assim contrariou o que Deus determinou e por este motivo perdeu o reinado, apesar de  continuar contrariando à Deus e com a posse do mesmo reinado, ainda por longos anos, se não me engano por mais de vinte anos, além de prosseguir uma busca incessante pelo então ungido de Deus, Davi. A teimosia de Saul contrastou com as adversidades que forjariam o futuro rei de Israel, pois, Davi teve que tomar decisões que preservassem tanto a sua vida, quanto a das pessoas que o seguiam, ao passo que Saul continuava na obstinada perseguição e ainda implantava um reinado que aos poucos iam dividindo opiniões ao ponto de algumas aldeias se aliarem à Davi por acharem que o rei de Israel estava à beira da loucura, observamos aí o cuidado de Davi, primeiro esgueirou-se sozinho pelas cavernas e quando seu exército foi ficando maior procurou refúgio no meio de seus inimigos, fazendo-os ver, a vantagem desta aliança para futuras conquistas de seus exércitos, assim fêz aliança com Aquís, rei de Gate, encontrou um lugar seguro para os seus seguidores em uma cidade vizinha aos entornos do reino de Aquís, ganhou várias batalhas e tornou-se popular até em terras inimigas, e, quando foi para confrontar-se com o rei Saul, isto é, contra o exército de Israel, viu a mão de Deus desviar o curso da história e locá-lo em outra frente de batalha, bem distante do conflito entre os reinos de Israel e de Aquís, estava o exército de Saul bastante debilitado e não foi difícil a vitória de Aquis e seu exército sobre Israel, fato esse que culminou na morte de Jônatas e de Saul, ficando a nação israelita a mercê das tropas de Aquís, que saquearam e destruíram a tribo de Israel, deixando também aleijado, o pequeno Mefibosete filho de Jônatas e Selima, o qual ficara aos cuidados da serva Tirzá, que num descuido não teve tempo de impedir que cavalos atrelados a armamentos atropelassem as pernas do garoto, uma infelicidade grande para a geração futura do infeliz reinado de Saul. Mas, voltando à Davi, ficou completamente consternado com as mortes de Jônatas e de Saul, ele, acima de tudo, ainda que ungido por Deus, tinha respeito e sincera amizade a Jônatas, o qual tinha por um irmão e também respeitava ao então ex-rei de Israel, pois, através o convívio desde a mocidade aprendera a admirar e respeitar. Na verdade Davi não compreendia bem a ambiguidade que foi a sua unção e o fato da convivência com o rei que então teria que no futuro desbancar, fato esse que apesar de todas as conquistas e vitórias que acumulava frente ao exército de Israel, angariava também a inveja e a antipatia do rei que enciumado passou a considerá-lo o possível ungido do Senhor e daí para a perseguição foi um passo, tramou várias vezes a morte de Davi, que sob a proteção divina jamais fora atingido e então passou a perseguir de forma aberta fazendo com que o jovem, virasse um foragido do reino, ainda que agora já fosse casado com uma de suas filhas, a verdadeira liberdade para Davi só chegaria com fim da vida de Saul, ainda que houve resistência por parte do principal general de Saul, Abner, que apressará em conduzir Isbosete rei de Israel, e novamente Davi não reage e deixa o trono de Israel nas mãos do filho mais novo de Saul, sai da cidade e dirige-se para o vale de Hebron aonde é proclamado rei de Hebron e assim divide o reino de Israel, mas, o reinado de Isbosete é fraco e inconsistente para o povo israelita, pois, o jovem era dado à vida desregrada e não se comportava como deveria um  verdadeiro rei, assim pouco a pouco foi esvaziando os seguidores de Isbosete e passando para o lado de Davi, quando Abner faz uma aliança com Davi, já é certa a queda do reinado de Isbosete, que na sequência dos fatos com a morte de Abner, também veio a ser assassinado pelos soldados de Abner e assim o reinado passou todo para Davi, que iniciava assim uma história de crescimento próspero e vitórias para o reino de Israel, tornando grande o nome do reino de Israel e do Senhor, a conquista de Sião, trouxe a arca do Senhor para Jerusalém eram tempos de paz, pois o Senhor dera descanso de todos os inimigos em redor, Davi pensou em construir um templo para o Senhor, o qual foi advertido pelo profeta Natã que o Senhor edificaria a sua casa e prosperaria o seu reino e que somente a sua descendência é quem edificaria casa ao Senhor, o qual ele estabeleceria para sempre o trono do seu reino. Após isto, houve ainda diversas vitórias de Davi, e veio então a queda de Davi, que com seu reino consolidado, pôs os olhos na esposa de um dos generais de seu exército, à saber Urias, cometeu com ela adultério, deste ato gerou a um filho a Bate-Seba, e ficando sem saída, manda chamar o marido do campo de batalha para que coabite com a mulher possa então, ser o pai do fruto deste pecado, porém, não houve relação entre os dois, o soldado preferiu dormir ao relento à ter a comodidade e confôrto de sua casa, enquanto seus companheiros pelejavam no campo de batalha, assim, Davi o manda de volta ao campo de batalha e com uma mensagem aonde ordena que Joabe o coloque na frente da batalha e o deixe só para que seja abatido e morra, o mesmo ordenou em relação ao pai de Bate-Seba, o general Elian que também tombou no campo de batalha sem que Joabe ou os outros soldados pudessem socorrê-los. Após estes acontecimentos, passado o luto, Davi casa-se com Bate-Seba, levou-a para o palácio, porém isto que Davi fizera, foi mau aos olhos do Senhor.  O profeta Natã repreende Davi e o faz saber que pecou contra o Senhor e que o preço que pagaria pelo seu pecado, seria altíssimo, primeiro, assim que viesse ao mundo o fruto do pecado, ele não viveria mais que sete dias e além disso que a espada jamais sairia da tua casa e como fizeste o que era mau, desprezando assim o Senhor, da tua casa suscitaria o mal sobre ti, daria as suas mulheres ao teu próximo, o qual se deitará com elas em plena luz do sol, porquanto fizeste isto em oculto eu o farei perante todo o Israel e perante o sol. Pois é, Deus dera tudo a Davi, pusera um reino em suas mãos e se mais o quizesse, se tivesse tomado conselho do Senhor, este o daria, mas, preferiu fechar os olhos ao Senhor e assenhorar-se na surdina da casa do seu próximo e macular o sacramento e a consagração do leito conjugal, ferindo os princípios do Senhor, na verdade Davi cobiçou a mulher do próximo e a tomou para sí, desprezando o concerto sagrado da família e assim pagou um preço altíssimo e sabia-o, o tempo todo que estava pagando pelos seus erros, por isso muitas vezes, preferiu não reagir e fugir até para não ter que lançar mão da espada contra seus próprios filhos, mas, com predisse o profeta, a espada não apartou-se da sua casa e o sofrimento foi altíssimo para este rei que apesar de tudo isso foi considerado por Deus, como o homem que andou segundo os seus desígnios, justamente por pedir perdão, por até implorar este perdão de Deus e compungir-se verdadeiramente pelos pecados cometidos, pois é, nesta época era Deus quem se manifestava aos homens, e hoje?  Hoje vivemos sob a égide do Espírito Santo de Deus, é Ele quem nos admoesta, quem nos compunge, quem nos faz saber o que é bom e agradável aos olhos de Deus e o que não é? Porque então as pessoas passam por cima de tudo que foi e é estabelecido para ela e para a sua vida?  Porque a família deixou de ser sagrada e passou a ser esta bagunça que hoje vemos aí? Cada qual seguindo os seus próprios interesses e se lambuzando em relações perigosas, em adultérios sem fim, em troca a troca como se os olhos de Deus não mais alcançasse a terra? Por que as pessoas não tomam esta passagem como lição e não se consagram ao Senhor, tanto suas vidas quanto as vidas das pessoas que constituam suas verdadeiras famílias? Jesus não veio abolir a lei e sim veio para fazê-la cumprir-se e veio para resgatar os perdidos e filiá-los novamente a Deus, restabelecer, religá-los ao Senhor e assim, deu a sua vida para resgatar-nos dos ferrolhos dos infernos, das armadilhas inimigas que possam assombrar as nossas vidas e para restabelecer uma relação de consagração e temor ao Senhor, relação esta que respeita os laços sagrados do matrimônio, que respeita o leito consagrado no altar de Deus e que através a conversão vivamos uma vida nova e digna, limpa aos olhos do Senhor e renovada em sua palavra de que ele não muda jamais e de que nada deva ser acrescentado à sua palavra e que ainda vivamos sob a égide do Espírito Santo, somos responsáveis por cada ato que entristeça o Espírito, por cada ato que macule a verdadeira vontade de Deus para os seus filhos, e lembrando que os olhos de Deus passeia por toda a terra a procura dos verdadeiros adoradores a procura das vidas preciosas e restauradas pelo sangue vertido na cruz do calvário que tornaram-se santas e consagradas ao Senhor!..... Deus é imutável e não importa se foi na época do rei Davi ou se na época atual que vivemos, ele jamais deixou de ser Deus e de julgar segundo o merecimento de cada ser por ele criado!  Louvemos ao Senhor hoje e sempre e aprendamos a verdadeira vontade do Senhor para as nossas vidas e consagremos nosso viver ao Deus altíssimo criador do céu e da terra!...









De Vera
Enviado por De Vera em 05/05/2012
Reeditado em 26/01/2014
Código do texto: T3651398
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
De Vera
Itaquaquecetuba - São Paulo - Brasil, 63 anos
129 textos (4783 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/10/14 04:18)
De Vera



Rádio Poética