Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pajelança


A folha em branco
O cursor piscando
O pulsar de vida
Ainda a ser vivida
Se teimo em dizer
O que não havia dito.

A forma perfeitamente lida
Dedos engatilhados em letras
Deixarei de usar palavras vãs.
Quem sabe quanto elas se valem?

Como queria dizer que te amo
Mas nem sei se te amo ainda...
O amor!  Que eternidade sentida.
Serei digno de te chamar presente.

Pergaminho dos meus sentidos ditos
Que a estrofe se prolongue em versos
Sou um ponto a mais em teus universos
Porque queimar os famosos controversos?

E me estendendo aonde meu corpo não te alcança
Sou a balança sem lastro de rimas que não se cansa
Sou a pilha de olhos em seu percalço das temperanças
Sou pirâmide em base de contexto do texto em desandança.
Lorenzo Giuliano Ferrari
Enviado por Lorenzo Giuliano Ferrari em 01/11/2007
Código do texto: T718640
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lorenzo Giuliano Ferrari
São Paulo - São Paulo - Brasil, 54 anos
1817 textos (50948 leituras)
1 áudios (2457 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 10:11)
Lorenzo Giuliano Ferrari