Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

As decepções do amor

Por ser um eterno apaixonado,
Meu coração as vezes não cabe dentro do meu peito.

As pessoas se aproximam de mim, por quem procuro ser,
mas basta eu abrir as portas do meu coração,
e lá vem elas querendo mudar meu jeito de ser,
e então o que me resta é só decepção.

Eu quero o direito de poder amar
Eu quero apenas um pouco de respeito
Eu quero a liberdade de não ter que mudar
Eu quero um pouco de amor verdadeiro.

Não me julgue sem conhecer meus motivos,
Não tente mudar meu jeito de ser,
Não me acuse do que não tenho culpa,
Não queria gostar tanto assim de você.

Eu não quero terminar meus dias sozinho,
Aceite o meu jeito de amar,
Mas por favor me entenda,
Esqueça o egoismo e aceite que o amor é quem deve reinar.

Já vivi tantas decepções que as vezes
tenho medo de querer ser feliz
O mundo está cheio de sorrisos nos lábios
e veneno nos corações
Mas meu amor não é bonomia,
portanto não tem máscaras.
Paulo Moura
Enviado por Paulo Moura em 10/07/2006
Reeditado em 22/08/2007
Código do texto: T191228

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite Paulo Moura - prdemoura@gmail.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paulo Moura
Canguçu - Rio Grande do Sul - Brasil, 55 anos
26 textos (2558 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 20:05)
Paulo Moura