Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sem regionalismo, mas...

Eu nasci e cresci no Recife a qual eu tenho verdadeiro amor. Minhas
raízes estão todas aqui. É aqui que fica o lugar onde eu me reunia
com meus amigos há alguns anos atrás para jogar bola. E lá que eu tive minha primeira namorada, minha primeira briga, meu primeiro
emprego, minha vida escolar toda... É um amor  inexplicável.
Devo dizer que a cidade é bonita sim, mas é mal cuidada. Que
seus rios e
sua arquitetura têm seu charme de fato. Que o maior teatro do
mundo é interessante... Mas nada disso faz muita diferença no amor que eu tenho por essa terra
Eu sou eternamente apaixonado por Recife. Sorrio sozinho
quando lembro das coisas que vi. Mas nada disso foi por causa
dos tais "títulos".
Você já viu o pôr-do-sol de qualquer ponte do Recife Antigo? Já
saiu da
frente de um caboclo de lança para não ser vitimado? Já
acompanhou um grupo de maracatu, mesmo sem conseguir reproduzir a
dança? Já namorou no marco zero à tardinha? Já comeu bode com uma
cervejinha gelada em
qualquer bar da zona norte? Já ficou no Acaiaca até 5h da tarde
tomando cerveja com caldinho de feijão - com azeitona, charque e
ovo de
codorna, claro! Já assistiu a Paixão de Cristo em Nova Jerusalém
e mesmo sendo ateu, quase chorei com o enforcamento de Judas ?
Já esteve na Feira de Caruaru e ficou perdido (literalmente)
entre as barracas de artesanato? Já comeu coxinha em Gravatá -
inclusive de camarão? Já encheu a cara de vinho do vale do São
Francisco no Festival de inverno de
Garanhuns pagando R$3,00 na garrafa? Ou até mesmo no recife antigo no meio daquela antiguidade e da belezados casarões? Já acompanhou as troças e
blocos do carnaval no Recife Antigo? Já foi para a saída do
Guaiamum Treloso, do siri na lata, do egoísta ou de tantos outros que de uma forma ou de outra contribuem para a beleza do carnaval, que é engrasadíssimo lembrar dos turistas
se balançando?
Já foi pra Muro Alto ficar boiando naquele mar cristalino!? Já
foi para Maracaípe de noite ficar "olhando o movimento?"
Já foi pra Porto de Galinhas ficar passeando no meio da
Turistada e dando um mergulho de prancha ou não no mar? Já
comeu aquelas maluquices da Oficina do Sabor em Olinda só pra
ganhar um prato da Boa Lembrança? Já comeu Sanduíche de Coração
de galinha no Laçaburguer? Já ouviu com aquele sotaque dengoso e
só as
pernambucanos têm "Tava com saudade, visse?" Já tentou paquerar
alguém no balcão do Downtown sem conseguir ouvir nada? Já tomou um
negócio daquele gelado no Galerias que ganha de porrada dos
capuccinos italianos (como é mesmo o nome ? - Maltado) ? Já andou
de Kombi e se divertiu com os gritos "Totó, Cavaleiro, Pacheco,
subi e descer é só um real! Você já sacaneou as obras de Brenanan t toda estranheza que elas tem? Já
tomou cachaça com suco de
cajá? Já comeu um kilo no Parraxaxá (como é que se escreve?), e
mais 500g de doces? Já se melou todo tentando abrir um guaiamum
pra comer 5g da carne?
Já arrumou uma fantasia em cima da hora para ir para o "Enquanto
isso na Sala da Justiça” ou pro “Baile municipal”? Já dançou ciranda em Itamaracá com Lia
ou no Janga com Dona Duda? Já se extasiou com o coco de roda na
festa lavadeiras - Lembra de Selma do coco? E a tal da porradinha
(cana com Fanta ou soda)? Quanta sofisticação... Sem falar na
tapioca da Sé à tardinha... e muitas outras coisas...
Essa autenticidade do povo, essa capacidade de ostentar o mais
sofisticado ao lado do mais rústico e sertanejo, sem perder sua
cara, sua identidade, sua marca, isso é o que torna Pernambuco um
lugar que não precisa se comparar à América Latina para ser
maravilhoso e nem a nenhum outro estado, porque sem muita modéstia e nenhum regionalismo exacerbado, Recife é Recife. Ficar ostentando títulos de grandeza de rua, praça,
shopping, casa de show, teatro, é reduzir Pernambuco, é permitir a
contra- argumentação! Para gostar de Recife, saber medir e contar
não importam, tem que ter sensibilidade e se deixar APAIXONAR.
P.S.: Esse texto que eu fiz reecrevi de um baiano apaixonado por essa terra maravilhosa e que me fez lembrar de muitas coisas daqui.
Robson Veloso
Enviado por Robson Veloso em 07/06/2005
Código do texto: T22820
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Robson Veloso
Recife - Pernambuco - Brasil, 30 anos
13 textos (2448 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 04:25)
Robson Veloso