Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Dois de novembro


Por vezes a saudade vem de longe chega bem perto e assovia... pia, pia e pia nos meus ouvidos e chia... a panela de pressão cozinhando o feijão no fim da tarde se confundindo com o canto da cigarra que ardia lá no galho da árvore... e sinto o aroma do café coado no pano, o bater da colher açucarando, dando voltas e voltas e voltas... era o tempo dando voltas e voltas... na pele o corte, teu santo remédio, no beijo minha sorte.
Ela sorria e dizia: “seis horas, a hora da Ave Maria”... e eu ia prá junto dela rezar. Rogava ao menino Jesus: “ó Jesus que disseste”... água benta, uma vela e um cheiro. Eu seguia com meus olhos seus dedos, na borda do copo o trajeto da cruz...

Prossiga seu caminho em paz, que eu te prometo... não te chamo mais.


Meu Deus é a energia
que abre e fecha meus olhos
que descansa em horizontes
os sonhos do dia
está no meu sono
no meu despertar
está nas minhas águas
nos rios que correm
pelas frestas da alma...
a Ele não atribuo
a culpa, o temor, o castigo
Ele fala comigo
no vento na chuva
na pedra na folha
me aponta ao umbigo
o início, o meio e o fim...
retira a farpa
que a vida crava
alisa a encrespada
trama carmim.

Cristina Nunes
Enviado por Cristina Nunes em 02/11/2006
Reeditado em 02/11/2006
Código do texto: T280265

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cristina Nunes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cristina Nunes
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 59 anos
421 textos (32645 leituras)
9 áudios (1002 audições)
2 e-livros (97 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 03:03)
Cristina Nunes