Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Um pouco de verdade

Ah, meu Deus, perdão!
Perdão por tantos anos de mentira,
Por tantos anos de aparência.
Por tantas tentativas de ser o que não sou,
De dizer o que não acredito,
De fingir que faço o que não faço,
E que não faço o que faço;
Perdão!

Perdão, ah, meu Deus!
Meu Deus, tanta coisa escondida,
Tanta coisa tão velada.
Tanta hipocrisia e tanta máscara,
E dizer que fui o que não fui,
E amar aquilo que não amo,
E não amar o que amo;
Meu Deus!

Deus meu... ah, perdão!
Perdão por não ter pecado,
Tantas e tantas vezes que quis,
Mas a farsa falou mais alto:
Pecado algum jamais cometi!
E deixei-me escravizar por mim mesmo,
Em nome do que nunca cri.
Deus meu...

Ah, perdão, Deus meu!
Pela canga que me deram
Na catedral, eu orgulhoso vesti!
Na tola esperança de um dia
Também vestir aos que chegavam a mim.
E fui magro, e fui gordo;
Fui honesto, fui mentiroso!
Por tantos anos de aparência e mentira,
Meu Deus... perdão!
Regis Camimura
Enviado por Regis Camimura em 18/11/2006
Reeditado em 18/11/2006
Código do texto: T294377

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (inclua o e-mail para contato (regis@w3gate.org)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Regis Camimura
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 34 anos
21 textos (4198 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 05:04)