Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ESCRITOR DE NINGUÉM

Alguém me disse à “letra pequena” que apenas guarda os seus escritos, o resto, deleta. O que me levou a pensar: - Seria o resto, LIXO ? Creio que essa pessoa jamais conhecerá o mágico fascínio que envolve Fernando Pessoa e nem deveria ousar mencioná-lo em suas desculpas esfarrapadas de pseudo escritor, medíocre  que tenta fazer bonito, citando grandes nomes da literatura mundial, para ser reconhecido como leitor de grandes obras. Certamente, Fernando, revirou-se no túmulo com tanta asneira escrita !
Que ódio de mim, por ter lido tanto e, com tanto zelo,  esse “merda!” e ter tido o disparate de compará-lo, em meus devaneios, a DRUMMOND, um pecado sem perdão, que certamente me levará à geeira, em meu juízo particular !

(Não se preocupe amigo recantual, essa carapuça jamais lhe caberá !)
Lili Maia
Enviado por Lili Maia em 07/07/2005
Código do texto: T31863

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Lili Maia
Curitiba - Paraná - Brasil
484 textos (66675 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 13:59)
Lili Maia