Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Um amanhã sem risos

Na janela do quarto escuro se vislumbra o negrume do céu amanhecido. Em pleno verão, uma massa cinzenta reflete o desespero que poucos percebem ter,mesmo estando vivo em seus subconscientes. Ainda que nada possa salvar o que já
foi perdido ou sequer obtido, a vontade de corrigir as falhas de um ontem cheio de marcas profundas nos leva à expectativa e o nervosismo de um amanhã sem risos.
Assim, sonho com a vida dos antepassados, que outrora eram cercados por um mundo ainda na primavera de sua juventude. Mas assim como diz o ditado, nada dura para sempre. Hoje vejo um mundo já em seus dias de quase expiração, com os segundos passando lentamente para os que já pressentem o pior, e quase imperceptíveis para os ingênuos que desconhecem a cruel verdade que espreita. Sonho com a vida onde não havia crateras se abrindo repentinamente no chão, e sim flores desabrochando com o passar das estações. Sonhar com um lugar tranquilo, distante e iluminado todos os dias pelo sol, onde o único ruído seja o dos pássaros cantando ao invés de pessoas chorando,não parece ser pedir muito. Mas sinto pena de mim e de todos os outros,que por essas e outras, devem continuar apenas sonhando,para não abrir os olhos e acordar no inferno,
que há tempos nos acolhe.
Márcio Ferreira
Enviado por Márcio Ferreira em 21/09/2007
Código do texto: T662254

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Márcio Ferreira). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Márcio Ferreira
Campinas - São Paulo - Brasil, 26 anos
12 textos (645 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 03:23)
Márcio Ferreira