Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

até que virem pó

essa mulher me consome com os olhos de fome ; fome de mim
de noite eu me sinto mais homem que qualquer comum que existe;
é tudo o que eu quis, fazer o que meu coração me diz;
agora sinto que meu corpo dorme e grita de felicicdade, junto a realidade atriz;
eu amo e sou feliz , mas se eu choro é que eu prefiro ser teu tolo;
teu amo , esperando consolo ;
sei que você veio meio que sem querer ; minha flor , meu brinquedo agora sei que te amo e perdi todos os meus medos de viver uma coincidencia que se vai ,
as ilusões deram lugar aos sonhos acordados de nós , dois seres apaixonados gritando em uma só vós  ;
olhe bem pode dar uma geral , meu coração tá aberto e eu não vou embora tão cedo;
eu sei quando vc quer carinho eu ando meio sozinho;e aprendi com teus segredos a ser fiel com tudo o que deixa uma oportunidade no meu céu ;
a provar o mel;
e me viciar no dia com todo esses bando de seres mortos vivos chamados de astros que não deixam ninguém só , tudo flui na influência de todos que existem até que virem pó.

paulo manuel silva
Enviado por paulo manuel silva em 04/10/2007
Código do texto: T680274

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
paulo manuel silva
Belém - Pará - Brasil, 27 anos
367 textos (8920 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 21:44)
paulo manuel silva