Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

- Já achei que era muito forte... Descobri o contrário...

É sempre assim, achamos que sabemos o que somos... Mas vem a vida e nos faz ter certeza não só do que somos, mas também do quanto somos...
Sempre julguei ser muito forte, mas pra ter certeza mesmo precisava saber que eu era muito fraco... Normal... É assim que se constrói o Eu... Experimentando e sentindo a vida...
A dor, ou a ausência dela pode ser uma forma de medir o quanto somos realmente fortes ou fracos... Na verdade a intensidade do sentir ou não sentir alguma coisa revela o quanto somos em todos os aspectos... A intensidade do sentimento (forte ou fraco) de nós por uma pessoa (ou se preferirem – por nós com uma pessoa) limita e cria uma escala relativa que vai da indiferença ao amar... tudo que esta entre o indiferente e o amor é medido pela intensidade do sentir...
Nunca tinha me sentido fraco... Então como poderia me sentir forte? Não sei... Eu simplesmente achava... Mas precisava ter certeza...
Acredito que todos nós experimentamos momentos que nos faz sentir fracos ou fortes... Mas raramente ligamos para nossos sentimentos nessa hora... Preferimos pensar no por que... Na culpa... Não nossa... Mas quem é o culpado (O filha da puta) por fazer nos sentir assim...
Imaginamos estar, sempre, servido pelo melhor escudo, e com a melhor armadura, que protege algo que achamos ser nossa fortaleza (nossos sentimentos), não deixamos ninguém chagar, ao menos, perto... E quando descobrimos que falhamos ao protegê-los, colocamos a culpa na eficiência das armas de ataques dos outros... Na dor que estamos sentindo por causa do outro... Quando o grande culpado é você... Você foi quem se preocupou com o outro ao invés de se preocupar com você... Você desviou a atenção para o que o outro faz e fez... Quando devia focar a atenção no seu sentimento de hoje e de sempre... O que ele – seu sentimento - esta e esteve lhe dizendo durante anos de experiências...
Só é forte quem comprova ser forte... A comprovação (certeza) vem da experiência... O grande escudo, a melhor armadura, é a experiência... É a vida... Nosso corpo sabe disso... Um machucado quando sarado se torna muito menos doloroso se acometido novamente no mesmo lugar... Até o INMETRO sabe disso, ele faz testes práticos do que resiste a um determinado estresse... Se resistir está OK... Se não resiste está reprovado... É fraco... Não serve... Mas ele (INMETRO) continua a testar... Para entregar produtos selecionados e de qualidade...
O grande problema de julgar se julgar fraco é que nunca mais iremos querer passar pelo mesmo teste... Pelo simples motivo de não querer sentir mais essa dor...
Julgamos ser fracos em determinada experiência pela intensidade da dor... No meu caso, como a dor foi muito grande, descobri que era muito fraco... Contudo não deixei que isso colocasse fim aos meus propósitos (sentir)... O que todo mundo faz, automaticamente, é escolher não passar por isso novamente... Negando assim uma dádiva de Deus, o sentir... Se negarmos sentir, negamos ser nós mesmos... E perderemos a oportunidade de comprovar que realmente aprendemos a ser fortes... E você irá se julgar fraco pelo resto da vida...
Estamos assim, negando ter o carimbo do INMETRO, pois não iremos selecionar mais nada (alguém para lhe fazer sentir) e o produto vai continuar a mesma porcaria (você, um fraco)...
O grande lance da coisa – O propósito - é que depois dessa experiência pude escolher o que ser... Claro que na hora dói... Mas a dor passa e surge a certeza... A certeza do que você quer ser... Depois de me sentir e experimentar ser fraco, pude escolher entre ser mais forte ou não ser eu... E ainda não ser eu fraco...
Se eu achava que era forte e descobri que era ser fraco... Posso ter a certeza do que é ser forte... E escolher entre os dois... O que você acha que eu escolhi?
Ser forte é encarar seus sentimentos... É mergulhar de cabeça... É não medir as conseqüências...
É sentir coragem... Quem não quer se sentir assim???

Villaça
Enviado por Villaça em 13/10/2007
Código do texto: T692627

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Villaça
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 35 anos
7 textos (273 leituras)
1 e-livros (79 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 22:11)
Villaça