Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

- Já fui apresentado pra DOR milhões de vezes... mesmo assim não consigo gravar a cara dela... e nem quero...

Antes de falar de nós... vamos falar dela... da dor...
Ela é um sentimento seu por você mesmo... só porque você pensa que não irá conseguir, ou acha que não irá mais encontrar, uma oportunidade de ser quem você realmente é - ou poderá ser – com a mesma ou com outra pessoa...
Não tenho a intenção de me proteger dela (dor), não quero ter escudos contra ela, o que eu quero é aprender com ela...
A defesa contra dor é a melhor maneira de não aprender... venho falando dela (dor) desde o inicio, e todo mundo com quem eu converso se diz querer evitá-la, trancando-se dentro de si mesmo...
O sentimento de dor conduz ao medo... o medo faz você ser o que não é... faz você se retrair, se afastar, se prender, se encolher, se diminuir e etc.
O medo é o oposto ao amor... O amor faz tudo ao contrario, ele expande, aproxima, liberta, cresce e aumenta o que você é... O problema é que só pensamos na dor e não no aprendizado que ela nos proporciona, é antagônico: Todo mundo adora aprender, mas ninguém gosta de sentir dor... então as pessoas preferem não sentir dor e consequentemente não aprender... começa ai a fase de defesa, o escudo... a proteção que você não precisa... pois não pode – não deve -  se proteger de você mesmo...
A única forma disto mudar é amar a dor... parece impossível mas é o mesmo que amar a aprender...
Quando eu digo “amar a aprender”... não digo no sentido aprender o que fazer, nem muito menos em como fazer... mas sim em aprender a ser o que você realmente é ... aprender a se amar por se conhecer... aprender a amar o que você é pelo que rejeitou (escolheu) não ser... a dor e qualquer outro sentimento nos ensinam a ser o que realmente somos, e escolher o que queremos ser, quem ser, e o que não ser...
A dor é implacável... ela é a afirmação... a verdade... ela diz: Muito prazer, Eu sou a dor e você não pode fugir de mim, se fugir de mim estará fugindo de você mesmo.
O problema é que ela só diz isso... não diz como temos que conviver com ela... essa é uma escolha nossa...
Mas se pensarmos em como convivemos com outros sentimentos podemos achar a resposta.
Como convivemos com um sentimento de amor,  por exemplo??? Se você responder que é com o medo eu lhe perguntarei se realmente está vivendo...
Se me responder que apenas aceita e fica feliz por senti-lo eu lhe pergunto o porquê de não fazer isso com todos os seus sentimentos... sentimento é sentimento e está contido em você e você esta contido dentro deles... é uma troca... se decidir não aceitar a dor nunca estará completo... vocês (corpo e alma) formam um conjunto unitário... se achar que a dor não pertence a você, você estará formando um conjunto, pra não dizer vazio, incompleto.
Não se esconda da dor... mostre-se a ela... aprenda com ela... ame aprender... ame a dor... ela é você... e você é ela...

Villaça
Enviado por Villaça em 17/10/2007
Código do texto: T698787

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Villaça
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 35 anos
7 textos (268 leituras)
1 e-livros (79 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/08/17 05:55)
Villaça