Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UM SONHO DE PRESENTE


  UM SONHO DE PRESENTE

Certa vez,andando por uma destas estradas,encontrei um garoto com um olhar muito humilde.Não pude deixar de notar seu semblante triste e carente,mas o que me tocou mesmo foi sua atitude.
Percebendo que eu me aproximava de uma banca de doces,o menino começou a me rodear.Na verdade,ele estava com fome e sua timidez o impedia de me pedir algo.Fiz o que achei que era certo naquele momento.
Chamei-o e perguntei se ele gostaria de comer algo.Ele balançou a cabeça para cima e para baixo bem devagar e assim a manteve.
Eu comprei-lhe um sonho.O garoto sorriu e agradeceu.Paguei o vendedor e fui embora.Como era meu caminho,eu fazia o mesmo percurso todos os dias.O garoto passou a frequentar aquele lugar a partir deste dia,segundo o vendedor de doces.Eu,na minha opinião,achava que podia fazer o minimo por aquele garoto que era pagar-lhe um doce por dia.Isso não me faria menos feliz ao dispor de uns míseros centavos por alguem que precisava.Eu estava completamente enganado.Todos os dias,a cena se repetia.Eu via o garoto e o chamava,já com o doce nas mãos e lhe entregava.Depois disso,eu ia embora.
Certo dia eu adoeci e precisei ficar internado alguns dias.Obviamente ,não podia ir trabalhar.Fiquei uma semana no hospital.Mas minha maior preocupação era que o garoto ficaria sem seu doce,então pedi a alguem que fosse até aquela banca de doces encontrar o garoto.
No outro dia,quando eu ainda estava acordando(era muito cedo),vi o garoto entrando no meu quarto.
Ele chegou perto da minha cama e disse:
- O senhor pode me desculpar ?
Eu fiquei sem entender nada.Então,lhe perguntei porquê.
Ele respondeu:
-Por ter pedido a Deus que me desse a chance de conversar com o senhor.Mas não achei que ele fosse fazer isso.
Eu quis saber porque ele queria conversar comigo.
Ele respondeu:
- O senhor nem me conhece.Não sabe onde eu moro.Mas mesmo assim,ainda percebeu que eu estava com fome.Meu pai chega em casa todo dia bêbado,grita com a minha mãe e me bate.Só queria saber porque ele tem dinheiro para beber e não tem dinheiro para comprar comida.Minha irmã quer ser médica,pra cuidar da mamãe quando meu pai bate nela.Eu queria ser professor,mas até agora não consigo entender o que a professora fala porque fico esperando chegar a hora do recreio pra comer aqueles biscoitos.Eu não tenho amigos porque eles tem vergonha de mim porque eu vou com o mesmo tenis todo dia e está até encardido.Mas o senhor me viu naquele dia e me deu alguma coisa que eu nunca tinha recebido antes.
Eu então não entendi o que um pequeno doce poderia fazer de tão bem para alguem que sofre tanto.E o menino respondeu.
- Não estou falando do doce,que se chama sonho.Estou falando do sonho que faz a vida doce.O sonho de que um dia alguém vai ver que existem muitas crianças por aí,com ou sem pais,esquecidas nas esquinas,esperando que alguem lhes traga UM SONHO.
Então entendi que o que aquele garoto não precisava apenas de alimento para o corpo.Ele precisava de alimento para a alma.
   
Adriano Almeida
Enviado por Adriano Almeida em 18/11/2007
Código do texto: T742581
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Adriano Almeida
Mandaguari - Paraná - Brasil
4 textos (321 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 21:40)
Adriano Almeida