Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Mundo

Caminho só por uma estrada vazia, só vejo sombras refletidas dos objetos sem coração, vejo também pessoas frias que me congelam com seus olhares profundos que me perfuram ate a alma.
Enquanto eu caminho nessa longa estrada que se chama mundo vejo que a maioria das pessoas não tem mais sentimentos.
Eu continuo andando e observando seus rostos parados como se fossem estatuas me olhando e me julgando, eu penso como eles podem querer me julgar sem me conhecer, sinto que todos me odeiam, sinto desprezo ate por minha sombra.
Por que será que a humanidade e assim?
por que os humanos gostam de ver sofrimento nos outros?
será que o homem nunca vai viver em paz?
será que ele sempre vai querer viver numa infinita guerra contra ele mesmo?
Eu me pergunto por que o homem se julga um ser tão superior aos outros?
Mais você não vê animais se matando a toa só por que querem matar ou querem morrer, quando uma pessoa quer brigar com outra junta uma multidão a sua volta como se fossem urubus ou mesmo chacais esperando a carniça.
Mais não são eles apenas os tão maravilhosos seres humanos que se alegram ao ver um ser de sua própria espécie morrer! Caminho nessa estrada e me perguntando se no final dela vai ter uma saída uma luz que elimine os seres humanos para eles pararem de matar uns aos outros, eu queria ser congelado e acordar daqui a muitos anos e ver se o mundo vai continuar essa mesma tristeza, eu me sinto preso em uma câmera que não posso me soltar, pois, não consigo me libertar das algemas da sociedade.
Minha alma chora ao ver esse belo mundo estragado pelos seus próprios habitantes então eu caminho nessa estrada observando os altos muros de pedra que me cercam e não me deixam fugir para um lugar melhor, eu espero que algum dia que o homem enxergue o que ele esta fazendo e ai sim eu possa andar nessa estrada chamada mundo em paz e sorrindo.
ADEUS .
PAULÃO
Enviado por PAULÃO em 03/01/2006
Código do texto: T94114
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
PAULÃO
Vinhedo - São Paulo - Brasil, 30 anos
13 textos (965 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 06:38)
PAULÃO