Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ALDEIA DA ALMA (5)

SALMO

Vai-se caminhando agora,
pronto o assassínio
mas refeita a alma,
rarefeita a alma.
Um caminho de léguas
e léguas de paciência.
A grandiosidade eterna da Criação.
Vai-se caminhando, agora,
sob a certeza do coração.
Palmo a palmo,
um salmo,
um salvo.
Vai-se entre mil tiros,
sob a condenação,
seguro de si.
Agora, sim, liberto,
por certo, o mundo
não engoliu sua vítima.
Palmo a palmo,
um plano devido e divino,
altiplano.
Aeroplano sobrevoando e
flutuando, enfim, flutuar
qual espírito redimido.


LUAR TÃO DOCE

Luar tão álgido,
lugar comum
frisa a maravilha
de jeito nenhum.
Agora, que tudo
se aproxima do
fim,
vejo uma aldeia,
aproximando-se
de mim.
Agora se consagra
essa festa.
Um dia se aproxima
a escalada,
a escalada tão brava
que corre como tesouro.
Uma luz
ainda vale ouro.
A lua cantiga
no caderno de taça.
A taça é de raça
e espiritual.
A verdade é nobre,
sr. F.,
e o mundo sempre foi podre.
Agora que tudo isso aí
está,
existe um tesouro no céu...
Não digo mais adeus,
aproxima-se a hora...


FERNANDO MEDEIROS
 verão de 2006
FERNANDO MEDEIROS
Enviado por FERNANDO MEDEIROS em 20/01/2006
Código do texto: T101263

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor Fernando Medeiros e o link para o site www.recantodasletras.com.br/autores/fernandomedeiros). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
FERNANDO MEDEIROS
Campinas - São Paulo - Brasil, 53 anos
155 textos (8752 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 02:16)