Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PARA UMA LOBA FAMINTA (DUETO)

PARA UMA LOBA FAMINTA (DUETO0 - Zelisa Camargo - (7/9/2004 23:57:49)
Marcial Salaverry
Zelisa Camargo


Minha loba doida e feroz,
o que te incomoda, o que é essa dor atroz?
Marcial

É uma dor que não é minha,
mas vive a me perseguir
 querendo detonar a força vital,
castrando minha essência de loba faminta.
zelisa

Pare de dor gemer,
se é melhor fazê-lo com prazer,
e com isso se comprazer...

Marcial

É o que faço meu grande Poeta
não gemo, urro de espasmos pernais
e assim vou gozando da dor
e com isso a venço pelo prazer
enganando-a traiçoeiramente
e a decepção é tão grande
que ela desiste e se vai...
frustrada procurar outras pernas
para em espasmos gerar novas dores.
Zelisa

Se a dor lhe afligir,
masturbe-se, e a dor irá fugir...
Marcial

Minha mente masturbatória
vive em gozos cósmicos,
sem toques sem necessidade de nada
apenas sentindo a energia
da kundaline em sua eterna dança
Zelisa

Se de prazer finalmente gozar,
a dor irá lhe abandonar...
Marcial

Sim, nada como viver em eternos gozos
a cada momento vivido intensamente
deixando o ser em estado de viagens
num mundo impenetrável
onde apenas o sentir predomina
o êxtase sendo total
e o gotejar de cada seiva
como sulco que sai
e pede passagem para ser apenas prazer,
delírios e ânsias saciadas
em sua liberdade total.
Zelisa

Se sua perna geme e goza,
seu sexo por prazer antegoza...
Marcial

espasmos delirantes, contrações
vaginais e pernais
uivos gritantes
e o sexo latejando
e a dor penetrando lenta e macia
e transmutando
essa energia de dor em prazer
em interação de dor e alivio
de prazer sentido
gerado dos gemidos
incontidos dos espasmos
que sulcam em cavalgadas
imensas e profundas
como a entregar ao macho
pedindo entre em meu mundo
e me dilacera
arrebenta esse sexo que implora
pelo teu membro viril
forte de lobo grisalho
onde teu uivo junta
ao uivo da loba faminta
para ser devorada
e gozada infinitamente.
zelisa

Uive, loba faminta de amor,
que seu lobo lhe irá levar calor...
Marcial

Como uivaremos
com o teu calor me penetrando
tomando-me como fêmea no cio
que clama pelo teu calor
pelo teu suor
que mistura ao meu
e em delírios dançaremos
a dança silenciosa
da entrega sem pensar
sem limitações
em total liberdade
de sermos vidas dançando vidas
sexos penetrando sexos
sugando em delírios entorpecidos
 e jorrando na boca sedenta que te busca
e na caverna onde quer te alojar
e latejar prendendo-o com garras
felinas onde não mais sairás
pois os espasmos são fortes
e te seguram dentro
para não mais sair
ate desfalecermos
em nossa cadência
repleta de loucura e desejos
de corpos que se entregam
sem medo do amor
do sentir
sendo apenas vida a latejar
e a sugar a total essência de nós
em eternos espasmos
ejaculados
sugados
bebidos
na taça de cristal
rose
la vida
finda
e saciada
zelisa

E se a medicina não tiver sucesso,
irei levar-lhe só sexo...
Marcial

A medicina não esta preparada
para a nossa evolução de almas
que somos libertos
sem preconceitos
sem medo de falarmos
de poetarmos dentro de uma sensualidade
que pode assustar
mas que é tão simples
esse estar e ser tua em palavras
em atos pensados e sentidos
nesse virtual real
onde sinto tua presença quente majestosa
 chegando como um imperador
um tirano
um cigano a procura do teu reino
um lobo a caça para domar sua loba
que busca teu sentir
teu sexo penetrante
onde se abre
para te receber
e ser tua loba
uivante com toda tara
com toda sensualidade
com toda sua volúpia
apenas exalando
o cheiro do sexo que o excita mais
em teu jogo e dança penetrante
onde nossos corpos
interagem e se tornam um
de tamanha fúria
da nossa entrega
alucinante.
zelisa

Vamos sensualmente poetar,
e aos puritanos escandalizar,
mas aos puritanos agradar...
Marcial

Somos poetas do amor
da liberdade
do sexo sem sexo
andrógenos já
amamos o dúbio
e somos o trino
tornando-nos uno
na entrega sem posse
apenas sentindo o vibrar
e o latejar do sexo
sempre em busca do outro
não com essa tara de macho
dos pseudos puritanos
que no fundo querem se entregar
querem se liberar
mas tem medo de doar
de se abrir
e serem penetrados
com a força máxima
dessa energia gerada pela kundaline
que se equilibrada
gera amor em harmonia
em sinceridade
e não essa leviandade
que encontramos nesse mundo
onde o sexo é detonado
deturpado por mentes perniciosas
deixando a essência da vida
se esvair
em sonhos onde apenas
o lado animal se manifesta
bem diferente do nosso
onde poetamos com amor
com sensibilidade
com um doar e entrega
de almas que se entregam
dentro dessa sensualidade equilibrada,
mantida dento de uma dança cadenciada
aí sim....
vamos poeta poetar
quebrar os preconceitos
fazer que todos entendam
que sexo é energia
divina e sagrada
é amor
é comunhão de corpos e almas
que se interagem
se entregam sem medo de se machucar
sem medo de ser penetrada
e dilacerada sem ser maculada
sem dor do estupro
mas com a dor do amor que somos
em total essência
do nossos  corpos que se unem
e se entregam
como loba que sou
e tu um lobo que também uiva
na calada da madrugada
sempre em busca
sempre a procura da caça
onde seremos
eternos espasmos
gozos cósmicos
entrega sem fim
até não agüentarmos mais
e de corpos unidos
um dentro do outro
acalentando
dormiremos
o sonho dos anjos
da verdadeira sensualidade e sexualidade
do amor
da entrega
do se doar
libertos que somos
Lobos Uivantes
que em espasmos
vivemos  a  poetar
Pois Poesia
é vida e sem ela
nada existiria
nem esse momento de entrega total
Meu lobo Grisalho
da madrugada
zelisa

zelisa camargo
a loba que uiva na madrugada


Beijos uivantes,
Marcial Salaverry
 
ZEL
Enviado por ZEL em 02/01/2005
Código do texto: T1066
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
ZEL
Aparecida de Goiânia - Goiás - Brasil, 69 anos
311 textos (33908 leituras)
8 e-livros (802 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 29/09/16 15:41)
ZEL