Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PEDOE-ME

Me desculpe todos...
O ser humano é...
todos sabem o que são,não é mesmo...?
É uma bagunça só,em todos os lares,ruas,bairros,
cidades,países,nações,raças.credos,seitas
e os que dizem religião,religiosos.
Até os que em nada crêem...
fora da ordem...
Partidos politicos,filosofia,antiga,
mordena e conteporanea
todas as correntes filosoficas estão tortas,
enferrujadas pra não dizer quebradas.
Corroperam o que era incorropido...
Destruiram o que não era pra destruir...
É mataram sem motivo...
O que não era pra matar de forma alguma
Os restantes também foram um equivoco
Quantos erros ...
Sabem...naõ,não sabem
cada um sabe de si...será?
será que sei de mim ...
derrepente posso ta com uma arma
apontada pra minha cabeça pronto
pra puxar o gatilho
Ou mais derrepente posso aponta-la pra você
ou pro teu filho.
O ser humano é o animal mais imprevisivel.
te tudo ele tem e faz a mais...
Não que seja um erro da criação ,
é também o que isso importa agora
Estamos  no meio de um abismo
sabe quem o construiu,de onde sugio
não vai muda nada ou vai...?
qual vai ser a medida salvadora?
O salvador,o benevolente...
Quando uma madeira esta empregnada de cupim,
naõ nos resta se não joga-la fora
Fora do sistema existe vida?há poblema?
Qual é o embrema em que crêem...?
São tantas as duvidas,
tantas mais são as mentiras que nos contam
Me desculpe a todos...
Mas não posso acretitar em nada que separem o homem
Nem partidos,nem sistema,nem religião,
filosofia,creça,nada que faça o homem se dividir,
brigarem,descordarem,não posso acretitar em nada
que possa nos dividir...nem em nos mesmos...

                    pedoe-me...

 



Mahcio Bhritto
Enviado por Mahcio Bhritto em 24/02/2006
Código do texto: T115732
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Mahcio Bhritto
Ferraz de Vasconcelos - São Paulo - Brasil
33 textos (1360 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 00:36)
Mahcio Bhritto