Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Anoitecendo

Lá no céu se perde a lua
como uma adaga fina, recurvada,
e eu em teus braços, sôfrega e nua
vou ensandecida, perpassando a madrugada.

Quando partires à aurora já chegada,
quero despumar esses momentos ternos,
desterrar da alma todos meus invernos
e esperar anoitecer férvida, esbraseada.

Vou te venerar, sou tua Vênus desposada,
tens em mim o melhor colo;  que me tomes
como se fora enrolada, qual serpente,

ou como fera que enterra os dentes
numa carne tenra; sou tua gazela, vês?
Vem me devorar, o anoitecer é de repente...

                                                                                                        Golbery Chaplin
Chaplin
Enviado por Chaplin em 26/02/2006
Código do texto: T116491
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Chaplin
Rio Grande - Rio Grande do Sul - Brasil, 71 anos
420 textos (28739 leituras)
1 áudios (130 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 08:13)
Chaplin