Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O ESTRONDO DO VULCÃO

Usufruir de auroras e albores,
merecer flores da constelação
de Dalva.

 Sabores de pêras ,
saberes de albas planícies,
tudo se estreita ao infinito
que a madrugada espreita.

Ao amanhecer ,
a cidade escuta e fala
com seu paladar de infante.

A inocência, non sense,
a raros oferece sua brisa,
a adentrar apenas
 janelas abertas para a vida.

Testemunhar de perto,
o estrondo do vulcão.

O vulcão que nos habita
calado, a mirar o mar
com suas ondas compassadas.

O vulcão que nos permite
descompassos.

Bailar em palcos
de estruturas duvidáveis,
destruir palcos
inutilizáveis.

O vulcão que nos permite
zerar, avançar sobre ruínas
e alcançar o bálsamo
nas raízes de sândalo,

usufruir de auroras e albores
merecer flores da constelação de Dalva.















 

















Rocio Novaes
Enviado por Rocio Novaes em 17/04/2005
Código do texto: T11725
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Rocio Novaes
Curitiba - Paraná - Brasil
203 textos (55091 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 18:42)
Rocio Novaes