Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Hórus

As mãos chorosas são grosseiramente tocadas,
As poesias não mais me habitam,
A eternidade num só tempo que já passara,
As ilusórias tensões para universo se encaminham

Carbonizado por meu leve e furioso alento
Refugiado devido ao receio daquele que caça
Toda minha juventude fora dedicada ao vento,
A despedida da vigorosa e entristecida asa

A beleza rara é definitiva preocupação
E o tardio amanhecer em seu devastador raiar,
Inicia os berros da árvore anciã que não se cessarão,
Com isso meu estúpido corpo não irá se levantar

Mortalmente definhado e perplexo
Rastejo mendigando para a glória... Solução,
Mas o escombro de um acidente é o reflexo,
Espalhado e amparado por todos a minha insignificante... Exposição

Mortificando e estancando infinitas feridas,
Em meio à angustiante desonra das batalhas
Junto de minha vitória roubada pelas víboras malditas,
Encontro-me afogado e sucumbido por lacrimosas cascatas

Perdido na vistosa areia do deserto
Deparo-me com suaves nuvens espaçadas
Talvez com isso meu guardião esteja liberto,
E minhas preces esgotadas.
Carlos Henrique Toledo
Enviado por Carlos Henrique Toledo em 25/03/2006
Código do texto: T128497
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Carlos Henrique Toledo
Jacutinga - Minas Gerais - Brasil, 28 anos
18 textos (480 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 10:20)
Carlos Henrique Toledo