Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O peregrino

Distancio-me da revolução de minha alma,
Pelas gôndolas da discórdia serena
Por entre espinhos e armadilhas da calma,
Desta seca e fugaz Veneza

Sou o monge do renascido alvorecer,
Com o mesmo e velho semblante vulgar
Que reza pela cruz ao anoitecer
E que aniquila a expressão do amar

Imperfeito ícone imortal
Desgracioso como uma enfermidade
O conselheiro dos fundamentos do mal,
Meticulosamente baseado na deslealdade

O prêmio de minha vitalidade aterradora,
São as lágrimas derrotadas sobre a fonte,
A volúpia da virgem sonhadora
E massacres observados pelo monte

Minha garganta já duramente estremecida
É a progenitora do caos benevolente,
Originou a confrontada besta adormecida,
A deusa de minha plenitude eminente
Carlos Henrique Toledo
Enviado por Carlos Henrique Toledo em 26/03/2006
Código do texto: T128780
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Carlos Henrique Toledo
Jacutinga - Minas Gerais - Brasil, 28 anos
18 textos (480 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 04:23)
Carlos Henrique Toledo