Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sem limites...

Ando meio sem noção
Não sei que dia, que horas são
Mudo de canal, zapeando na televisão
Não sei se vai sair uma poesia ou quem sabe, não

Começo querendo dizer, falar de sentimentos
Depois brinco com as rimas em todos os momentos
Dessa vez nada triste, tô fora de lamentos
Xô deprê, sai pra lá tormentos

Quando me dou conta, vejo que uma poesia eu fiz
Vou rimando, brincando e arriscando, por um triz
No limiar da razão e da loucura coloco meu nariz
E quando eu passo pelo abismo, sorrio e peço bis

Pode parecer devaneio, uma poetisa a divagar
Digo que é a arte, a arte de me expressar
Falar de coisas do coração, do querer, do amar
Espantar a solidão e quem sabe alegrias suplantar

E com as palavras sigo então brincando
Para dizer o que ando tanto pensando
Eu sei lá, às vezes estou só divagando
De um poeta só fique esperando
Algumas rimas que anda elaborando

Gosto muito de falar, me expressar, de escrever
Coisas latentes de meu peito, quer dizer
A inconstância de uma alma a se desenvolver
Pendida num penhasco, onde pode escolher
Se jogar, ficar onde está, tentar ultrapassar, vencer

(Data: 05/02/2006)
Giselly Aguiar
Enviado por Giselly Aguiar em 29/03/2006
Código do texto: T130265
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Giselly Aguiar
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 35 anos
21 textos (524 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 02:19)
Giselly Aguiar