Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Improviso

Improviso

Perguntáste-me um dia
se te fazia uma poesia...
sorri,
e então respondí
que poeta não sou
que recitar não sei
que escrevo sobre aquilo que nos teus olhos ví
que na minha alma sentí
que na vida muito amei


Pois é poeta não sou

Não sei rimar de forma métrica, certinha
Escrevo nesta forma muito minha
Deixo a poesia sair livremente
Sentindo rir, vibrar, esta alma lusitana
ou chorar, não sei francamente...

Pois é, mas poeta não sou ...

Se fosse poeta saberia esconder minhas emoções
Saberia rir, quando o coração chora
E no meio de tantas sensações
Escrever poesias lindas, frases bonitas
minha poesia tocaria em tí, como outrora
num dilúvio de festa e de fitas

Pois é , mas poeta nunca fui...
Quero apenas ser eu....
Alma Lusíada
Enviado por Alma Lusíada em 08/04/2006
Reeditado em 11/04/2006
Código do texto: T135883
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alma Lusíada
Portugal
104 textos (18766 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 12:23)