Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Um breve não

Que não mais se cante
melodramas, angústias e desencontros do amor.
Que se não inculpe o amor,
com as incongruências e menoridades
de nós próprios.
Não façamos de inexpugnável forte
o amor,
ele que a ser vida ,
detêm a diamantina dureza e a clara
e imponderável subtileza da brisa.
Ele que a ser tudo
magnificanos na ascese almejada.
Não, não vulgarizem de todo,
não profanem por caprichos vãos,
palavra e sentido
do verbo amar.
Aceitemos, com a dor apropriada
a nossa simples incapacidade,
a nossa não idade do amor.
Cresceremos num dia ainda indefenido,
seremos maiores,
seremos capazes, seremos fortes.
Hospitaleiros e hóspedes da plenitude do amor.
Vitoriosos humildes ou épicos derrotados do amor,
mas nunca vulgares artífices
da palavra e do sentir amor.
Dionísio Dinis
Enviado por Dionísio Dinis em 10/04/2006
Código do texto: T136947

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Dionísio Dinis). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Dionísio Dinis
Portugal, 54 anos
126 textos (5406 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 20:30)
Dionísio Dinis