Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Mesquita no Egito - Assuam-2004

Quando meus pés passaram por aqui,
as pedras não tinham essa conformação,
e as árvores me pareciam mais altas.
Quando meus pés passaram por aqui,
nada era como está hoje,
porque os picos distantes das montanhas,
agora não vejo mais e nem as flores
multicoloridas, são tão abundantes, como o eram.
Quando meus pés passaram por aqui,
filósofos falavam e ouviam,
sobre tudo e toda criança, me era familiar.
Quando meus pés passaram por aqui,
havia em toda natureza um espasmo
de êxtase, e não era necessário sofrer,
para aprender algo.
Quando meus pés passaram por aqui,
não era preciso ir tão longe,
para que a doçura das frutas,
fosse como mel aos lábios,
e que o perfume reinante,
prolongasse a paixão.
Quando meus pés passaram por aqui,
ficou dentro de mim,
uma marca de eternidade.
Quando meus pés passaram por aqui,
ví e assimilei todo código,
de real grandeza.
Quando meus pés passaram por aqui,
sabia que um dia retornaria,
e que as lembranças embora vagas,
aconteceriam.
Quando meus pés passaram por aqui,
senti que podia viver sem sombras.
Quando meus pés passaram por aqui,
fui ao redor das águas e cantei,
como se canta, quando se está feliz.
Quando meus pés passaram por aqui,
em épocas tão remotas,
sonhei que deveria esperar por séculos,
para alcançar todo magnífico esplendor,
de ter vivido como se vive um ser,
em total compreensão.
Quando meus pés passaram por aqui,
fui bem recebida porque
trazia dentro de mim, o amor.
Quando meus pés passaram por aqui,
a magia era constante, e tudo
ressaltava de dentro para fora.
Quando meus pés passaram por aqui,
não havia o que se chama agora,
incerteza de nada,
porque o todo era mais entendido,
e a vontade era presente.
Quando meus pés passaram por aqui,
o começo de tudo era o fim,
e o fim todo começo.
Quando meus pés passaram por aqui,
todo conjunto de alma, espírito,
e corpo, entrelaçavam-se e a
poesia ondulava em cada ser.
Quando meus pés passaram por aqui,
tudo resplandecia em acontecimentos,
onde a ternura, o ardor e a fantasia,
eram presentes,mas o conhecimento
não deixava que fosse banal.
Quando meus pés passaram por aqui,
fiz um caminho de várias estradas e atalhos.
Quando meus pés passaram por aqui,
fiquei mais em paz do que hoje sinto.
Quando meus pés passaram por aqui,
vi que  poderia ser mais autêntica,
e que todo vulcão existente em mim,
eclodiria em belos versos.
Quando meus pés passaram por aqui,
nos dias agora atuais,
entendi a vertente de minha vida.
Marcia Barroca
Enviado por Marcia Barroca em 18/04/2006
Código do texto: T140970
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Marcia Barroca
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 65 anos
109 textos (3479 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 10:31)
Marcia Barroca