Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O troféu

Queria vê-lo feliz.
Queria poder participar de sua felicidade...
Queria poder te fazer feliz...
Gostaria de voltar atrás...
Gostaria de não ter vivido aquele dia...
Não daquela forma...
Gostaria de não ter te conhecido.
Gostaria de poder arrancar meu coração do peito...
Joga-lo fora,
Este nunca mais pertencerá a ninguém.
Estou confusa
Você nunca me pertenceu
Você nunca me indagou!
Você sempre acreditou no que eu sou de verdade...?
Você sempre me respeitou...?
Você vendou-me,
Enfeitiçou-me
Mas você nunca foi meu
Como posso te querer tanto?
Se você nunca foi meu...
Como posso te amar tanto?
Se você nunca me amou...
Você procurava refúgio...
E eu estava ali...
No lugar certo
Na hora certa
Você me conquistou no primeiro olhar...
Ali naquele instante...
Eu já me sentia sua
Mas você nunca foi meu
Foi tão mágico...
Como um conto de fadas...
Tudo se encaixava
O seu olhar
As suas palavras...
Os seus carinhos...
E enfim...
Os beijos...
Tudo passou a ter sentido
Encontrara um homem de verdade!
Mas você nunca me pertenceu...
A partir daquele dia
Eu era só desejo
Em estar ao seu lado
Mesmo só para estar
Mas você nunca foi meu
Os dias foram passando
E mesmo que eu falasse que não...
Eu tinha esperanças...
Cheguei a ter certezas...
Com você!
Então tudo começou a ficar confuso
Eu já não sabia mais como agir
Foi quando aquela noite chegou...
Noite que jurava te ver...
Estar ao teu lado...
Mas invés disso...
A descoberta!
Você pertencia...
À outra
E eu?
Não havia mais espaço pra mim?
Nunca houve
Meu mundo desmoronou
Eu não sabia mais em que acreditar
Estava tudo tão bem
Não estava?
O que aconteceu?
Porque fizestes isso comigo?
Porque me encostaste a um canto qualquer...
Como um troféu!
Possuístes a arte da dissimulação
Não posso acreditar nisso
Provastes-me o que meus olhos não queriam enxergar
Tornou meu sonho cor-de-rosa no mais rígido breu
Senti-me traída
Humilhada
Não era isso que queria
Nunca foi
Você nunca foi meu...
Agora te observo a distância
Almejando... ainda sua felicidade
A minha penduraste como prêmio
Em qualquer lugar...
Agora me obrigo a acreditar
Que nunca
Nunca fui sua...

Senhora Morrison
02/05/2006
Senhora Morrison
Enviado por Senhora Morrison em 03/05/2006
Código do texto: T149725
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Senhora Morrison
São Paulo - São Paulo - Brasil, 36 anos
54 textos (2857 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 04:18)
Senhora Morrison