Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

De Saudades

Os olhares deixam-se tecer pelos fios da espera.
Em tuas ausências, descubro-me em ansiedades
Rendida à ternura do lembrar, ao afago do recordar
É como se entregasse o peito ao desatar do sentir
E num soprar de silêncios incontidos, confessasse-me
Renegando o claustro, a tortura do emudecer-me
É que os versos aliciam minha pretensa quietude
Derramam-me de quaisquer supostas medidas
Transbordam insones nas águas despertas
Do coração que só se sabe a viver em ti
É que deste às minhas letras tuas senhas
As entrelinhas dos teus desejos e expressões
Assim conjugo-te em meus assombros
Como se o “eu” e o “tu”, a qualquer tempo
Fossem sempre feitos do inequívoco nós
Ardem em minhas mãos os teus gestos
E tudo parece combinar com o tudo de mim
Entrelaçam-se meus dedos quase sem ar
Como a buscar vestígios do que não foi dito
Vezes, dispensas a palavra, o passo seguinte
Asfixiando o que tanto sei e que não revelas
Mais ainda ficas em mim nesses momentos
Quando te pensas à salvo em tuas fugas
Nesses dias, em que tudo me falta
E um fino fio me sustenta a alma
Alterno-me entre luas prateadas de saudades
E dias que me escrevem sobre teus cheiros
Como se a visão fosse também olfato e paladar.
Minhas mãos sempre acham que virás
E compõem e me delatam sem pudores
Dizem dos meus encantamentos e delírios
Desse estremecer permanente que me rodeia
Quando te vejo em meus olhares...

© Fernanda Guimarães
Fernanda Guimarães
Enviado por Fernanda Guimarães em 06/05/2006
Reeditado em 25/08/2008
Código do texto: T151202
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Fernanda Guimarães
Fortaleza - Ceará - Brasil
430 textos (64361 leituras)
9 áudios (1782 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 18:11)
Fernanda Guimarães