Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Lírio


E o lírio se despe
Por onde andará minha fada tão linda?
Peço à minha Mãe por sua proteção
Para tornar a ver seu encanto e sua magia

Despido de toda a sua glória
Que importa como se veste o Rei Salomão?
Pois que a tua amada está em seu leito de morte
Aflito, o lírio chora de comoção

Alcmene, minha mãe me abandonou
Juno deu-me o seio à pedido de Minerva
Suguei-o tão forte que a Via Láctea formou
Outros lírios gerou, o leite derramado sobre a terra

Os alquimistas me utilizaram
Para criar um perfume mágico
As noivas em seus buquês me colocaram
Simbolizando a pureza, para adentrar nesse átrio

Resta-me agora Anamaria
Olívia! Minha fada, a morte levou
Oh Mãe, por qual dessas estradas
Irei carregar a minha dor?

Não me chames mais Eugênio ou Hércules
Que me perdoem Veríssimo e a Mitologia
Só me adornarei para a minha amada
E à minha Mãe, rendo-vos graças nesse dia!


       ***********************************


     Narra a mitologia, que a conselho de Minerva, Juno deu seu seio a Hércules, que havia sido abandonado no campo por Alcmene, sua mãe. O jovem herói teria sugado o seio com tanta força, que o leite esguichou em grande quantidade. As gotas que se espalharam no céu formaram a Via Láctea e as que caíram na terra transformaram-se em lírios.

cacaubahia
Enviado por cacaubahia em 14/05/2006
Reeditado em 04/03/2011
Código do texto: T155861

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
cacaubahia
Londrina - Paraná - Brasil, 56 anos
334 textos (36470 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 08:20)
cacaubahia