Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Aqui

Aqui resistem sem queixumes, lancinantes vivências,
sorrisos em secas gargantas. Inefáveis nós com
socos no estômago por sobremesa,
entrecruzados caminhos, a jornada na escuridão.

Neste lugar eu digo: e de passagem breve ou eterna estada
serei triste, mas alegremente só.Incortonável fado este, o
de ser no sofrimento ser possesso, a definitiva  altivez da recusa,
a assumida presunção da dor exclusiva.
Actor de sala com gente ausente, espectador único
do acto ultimo de patética existência.

Importa agora não chorar, não ser rio , não ser mar,
cuidar que dos amores apenas idas lembranças são,
lembrar apenas o belo momento da partida,
o momento em que buscaram aconchego maior.
Sem ironias, de amarguras isento, as mãos abertas em
coração livre, longe de mim toda a mágoa.
Cuidar apenas que da apagada existência,  do cinzento do meu ser,
fui gloriosamente o desapercebido passeante.

As palavras deprimidas  procuram o quente dos afectos,
são solitárias as palavras das noites negras
dos dias não nascidos, e no entanto serão sempre
pertença de alguém, alguém no fado de as acalentar,
de saber não as arremessar em vão,
de deter , na própria desgraça, sabedoria de as usar.
Existo no lugar profundo com palavras tristes nos olhos,
as palavras obscuras desse lugar podem ser letais,
e eu que sou dessas palavras o serviçal escolhido,
sei  tarde demais…
As palavras letais não vêm com manual de utilização!

E velozmente se extingue qualquer imprecisa lembrança de mim,
que de memórias eu já não tenho e de futuros nada anseio,
a pegada deixada, sumida em tempestades de areia,
no absoluto deserto do meu ser, útero e claridade
ou apenas nado-morto!
Dionísio Dinis
Enviado por Dionísio Dinis em 16/05/2006
Código do texto: T157388

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Dionísio Dinis). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Dionísio Dinis
Portugal, 54 anos
126 textos (5406 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 07:39)
Dionísio Dinis