Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Tear Humano

Hoje superei o limite de minha paciência,
como um pequeno fio no tear humano.

Troca de roupa,
equilibra-se no ar o salto na passarela habitual.
No palco falta luz.
No teatro, marionetes são meros brinquedos e a
sua atuação me fascina.

Na desova do desespero,
no conteúdo da casca há uma interrogação, parte do seu ser.

Na praça ruidosa e dispersiva,
espero sobre um banco frio e incômodo,
a ausência do medo intimista.

Café no copo.
No bilhete despi palavras,
meu ponto final é uma raiva furor
que extrai da tinta esferográfica.

As melodias do seu violino,
infantis e de iniciantes,
formam uma canção tímida em desarmonia.

Não sei ler partituras.
Nossos simbolismos
são como um ato tentável,
que se perdeu ao acaso.

2002
Aglaé Meinberg
Enviado por Aglaé Meinberg em 17/05/2006
Reeditado em 28/05/2008
Código do texto: T157755
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Aglaé Meinberg
Varginha - Minas Gerais - Brasil
47 textos (2007 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 07:07)
Aglaé Meinberg