Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Através do Singular

Rasgo palavras e papéis ao lixo.
Reescrevo verbos e me atrapalho não mais com palavras, que sentimentos.

Vou pelo inverso, na simples busca do aconchego.
No mais difícil poema,
Sou resoluto e recuo
em brandas páginas.

A tua assimetria reflete e deflagra o que és.
Queres alguém que atenda a tua alma e mapeie todo sentimento.

Não permites o que sou,
minha aparência, aflige o teu eu.

Por hora dissipas ao vento minhas atenções.

No desuso,
me desvio do castanho dos teus olhos.
Somos monocromático intuito,
não um trivial sabor.

Em teus leves gestos,
nos encontramos de forma temporal.
No silêncio, temos a mesma amplitude.

Em outro lugar, quem sabe o teu postal caminhe em curvas felizes!

Por hora, permito o que sou.
       
2001


Aglaé Meinberg
Enviado por Aglaé Meinberg em 21/05/2006
Reeditado em 28/05/2008
Código do texto: T160237
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Aglaé Meinberg
Varginha - Minas Gerais - Brasil
47 textos (2007 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 16:43)
Aglaé Meinberg