Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Labor

Meu poema chora
Chora porque demora,
a luz dos versos.
Um grito
Um anúncio
Um Prenúncio
São versos derramando
Poema choramingando, choraminguando, fases do poema .
Sons rastejando as páginas, paredes do ventre,
Rastros, passos para adentrar a selva
Conhecer o mundo
Poema é seiva que escorre no outro

O poema luta
Lutas
Luas
Vozes tuas
Gritos do poema
Sons dissonantes,
Lágrimas que não servem
Não constroem poema
Esforço de corpo, corpus, aos poucos, o poema,aos versos, aos berros de quem quer sair
Entrar na glória da leituras, releituras das construções, desconstruções, da sobrevivência,
o sentir sempre, a abstração do poema
O grito
inocência na culpa de ser
Ser o que não é
E querer ser.
Ser
Poesia é Floresta densa
Intensa
Tensa tensa
Inspiração é conspiração da poesia
escrever é apagar pegadas,
Rascunhar versos
Refazer os versos
Lamber os versos
Luta vã de Drummond !!??

O poema chora
Chora porque demora, a luz dos versos.
Neucivaldo Moreira
Enviado por Neucivaldo Moreira em 21/06/2006
Código do texto: T179781
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Neucivaldo Moreira
Santarém - Pará - Brasil, 48 anos
21 textos (4856 leituras)
1 e-livros (43 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 19:59)
Neucivaldo Moreira