Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Entidade

Consumo e sustento a agonia das vagas,
Quais límpidas chagas de meu alfobre.
Ergo no engenho do verso o meu canto,
Que visto em manto co´a frieza do cobre.

D´um coma ululante uma seca energia,
Percorre tardia minha alma cipreste.
Contudo esta luz é miragem do estio,
E percorro o vazio deste orbe agreste.

Não sabe, esta luz, que tão doce meneia,
O mal que semeia, qual murcha tulipa.
Aduba minh´alma neste vale medonho,
Aquece-me o sonho, congela e dissipa.
Myrna RRP
Enviado por Myrna RRP em 14/07/2006
Código do texto: T194156
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Myrna RRP
São Paulo - São Paulo - Brasil, 31 anos
26 textos (677 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 10:29)
Myrna RRP