Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Rua XV

No caminho em preto e branco
De pedras em pedaços
Aterradas em faces
Coloridas e sombrias
A cada passo um som
A cada som, um pranto.

Vejo chorinho de saudade,
Tango querendo voltar à mocidade
Nas cordas dos violões,
Caras carrancudas e moças tristes
Vendendo vida parada nos quadros
 
Gente que se parte de tanto rir,
Gente que chora, fingindo sorrir,
Mesmo que não haja pernas pra seguir
Com olhos cegos que ninguém enxerga

Uns deixam seus perfumes no ar
Outros sujeitos às suas transformações
Sol quente, ardente,
Chuva precipitante...
Trovoadas de lamentações

O mundo gente
Caminha no tapete preto e branco
Homens coloridos tentam improvisar alegria
Dos outros cercados de melancolia

A fama encena o drama
Dos artistas sem lucro
Em nomes estampados em papelão

Nos pilares dos edifícios
Esconde-se o chão da humanidade
Há um homem ali,
Enrolado entre cobertas e poeiras
Encolhido com a aflição

A cada esquina, senhores
Com a voz misericórdia
Pedindo esmolas de atenção

A cada rua que corta
Vem um menino de braços gélidos
E mãos nervosas
Com a esperança morta
Apontando indignação

O passado escuro suja
As mãos do presente
Essa lama preta
Desfigura o branco.
E o futuro?
O futuro está cinza
À beira da calçada.

Daniel Pinheiro Lima Couto


15/06/06











Daniel Couto
Enviado por Daniel Couto em 30/07/2006
Reeditado em 20/08/2006
Código do texto: T205068

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Daniel Pinheiro Lima Couto). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Daniel Couto
Curitiba - Paraná - Brasil, 34 anos
110 textos (6652 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 11:24)
Daniel Couto