Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

as "pedra" do sertão

...é um caminho cascalhoso
os pés empoeirados contam cada "pedra" em seu calcanhar.
          a dureza da estrada
          o emaranhado de vento... ventania sopro só...
          solidão sem fim
                    a falta d'água - maldita seca -
                    e os olhos marejados pelo ardor do sol.
a escola!?
- ai deus! dali passava lonjura de légua...
             êta "pedra" canseira só...
      mas a beleza daquela terra seca,
      fedida pela morte de tanta rês,
      anseia o exalar do próximo chover.
há quem diga que no sertão
                      a "pedra não ensina nada"...
...e a "pedra", toda ela só "pedra"
ensina o muito do tudo que a vida acalenta
                          [no redemoinho do tempo...
         basta atento ficar...
         caminhar no subir das "Sete Curvas",
         parar no vigor de cada encosta e admirar a "pedra"
                   e lá de cima, contemplar aquelas "pedra"
                   [acalentadas pelo assobio da ventania
isso é o testemunho do quão belo se faz o tempo.
o caminhar continuado, pisando aquelas "pedra"
       é a certeza do destino engrossando a sola dos pés.
e "no meio do caminho tinha uma pedra..."
e aquela "pedra" centrada num descampado
é arquitetura divina daquela terra-nação.
       o vento se encarregara do esculpir
                                  [primeiro e natural
               fonte da inquietude do sopro silencioso
                         [de dias e noites
e diante daquela "pedra", soam as vozes de todas as gentes
             - olha o "Buraco do Vento"!
e aqueles pés continuam seu caminho...
e o corpo-homem na sua visão terrena
aprende da "pedra":
                            arte...poesia
        porque seus pés em meio às "pedra" trazem
                              [a canção do aprender
        e dessas "pedra" sangram ensinamentos
                       [que toda uma vida fará procriar,
à sombra dos umbuzeiros, sentado naquelas "pedra"
em meio a tanto calor - o homem faz seu destino
                  isso porque lá no sertão
                                  [a "pedra" ensina tudo...
Marco Carneiro
Enviado por Marco Carneiro em 03/08/2006
Reeditado em 31/08/2007
Código do texto: T208157
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marco Carneiro
Euclides da Cunha - Bahia - Brasil
37 textos (1440 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 02:38)