Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O DESCONHECIDO

Quedo-me derramado sobre os vales
para não afastá-los dos oiteiros.
 
Quero-me derramado sobre os homens
para afirmar a nossa afinidade.
 
Trago os membros decepados,
as faces esfoladas
e tento manter o amor.
 
Enquanto a paz não soa
quedo-me derramado
 
Há dois mil anos o céu tocou a terra árida da guerra,
é a agonia do mar a revolver seus mortos,
a eterna agonia do sangue derramado.
 
E quedo-me até quando?
“se há dois mil anos te mandei meu grito:
SOU CAMINHO, VERDADE, SOU VIDA”!
José Luongo da Silveira
Enviado por José Luongo da Silveira em 14/08/2006
Código do texto: T216162
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Luongo da Silveira
Santa Maria - Rio Grande do Sul - Brasil
78 textos (1180 leituras)
1 e-livros (50 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 13:54)
José Luongo da Silveira