Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Condolências

O sol veio abrasador e fulgoroso
Desbravando o nascimento de um dia.
Mas há alguém que não pôde ver o sol
E nem pôde ver o colorido da primavera nessa estação.

Existem pessoas que de tanto correr
Suas pernas já estão fartas, mas há alguém
Que nunca pôde ouvir o estrépito som dos seus passos.
Existem pessoas conversando e sussurrando,

Mas há alguém que nunca ouviu a doce palavra de amor
E tudo lhe foi silencioso e mórbido.
Existem pessoas que em brados e doçuras
Veridicamente mentiram ao mundo,

Mas há alguém que nunca pôde declamar um verso
Nem recitar a vigorosa poesia.
Existe pessoas erguendo bandeiras,
Apedrejando e espancando.

Mas há alguém que nunca pôde
Sentir a própria face amarga.
Existem pessoas morrendo de encantos pelo mundo.
Mas há alguém de estomago vazio que não mais suporta.

Vomitar as mercadorias mundanas.
Existem pessoas vivendo pelo amor
Mas há alguém que sempre caminhará
Com uma sepultura no peito.
verme do riacho
Enviado por verme do riacho em 24/08/2006
Reeditado em 06/09/2006
Código do texto: T224028
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
verme do riacho
Juripiranga - Paraíba - Brasil, 30 anos
6 textos (42 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 04:12)
verme do riacho