Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Vendaval

Do nada venho, pro nada volto, e do nada ercrevo!
Não há motivos aparentes, não há idéias...
Não existe nada que liberte meu corpo do seu destino, pois tudo que me envolve se chama vento!

Tudo ao meu redor é tempestade que exige do meu corpo seu maior esforço.

A Alma descança, e meu coração gelatinoso e quente ainda quer cuspir melancolia garganta afora!
Não há nada.
Não houve nada.
Nunca haverá nada!
Sadie
Enviado por Sadie em 24/08/2006
Código do texto: T224341
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Sadie
Londrina - Paraná - Brasil, 34 anos
6 textos (128 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 16:48)
Sadie