Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema da Matemática

Quando me dão a problemática,
Enrosco-me na solucionática,
De um ângulo obtuso,
Para uma reta tento saber.

Qual é a menor distancia,
Entre dois pontos?
E no co-seno das tangentes,
Eu me perco.

Ai vem uma raiz quadrada,
Fico louco com a exponenciação,
Dos números inteiros,
Divisão do monômio, polinômios...

E lá longe vejo,
A soma dos ângulos inteiros,
De um polígono.
E me perguntam cadê.

A geometria plana?
O quê?
Isso você vai ser uma reta?
Ou um circulo.

Endoidou de vez?
Ponto, reta, plano,
Medidas de ângulo?
Ou triângulos  “amorosos”.

Altura da reta,
De um segmento perpendicular,
Ai sim, é melhor ir ou ficar.
E como subir num trapézio.

Eu venho por duas retas paralelas,
E volto por uma transversal
E isso é matemática,
Ou um tantão de problemas.

Não tenho uma solucinática,
E qual é a minha função?
E no conjunto dos números reais?
Ou tem algum ponto notável.
jan
Enviado por jan em 06/09/2006
Código do texto: T234319
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
jan
Uberlândia - Minas Gerais - Brasil, 56 anos
16 textos (9507 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 09:46)
jan