Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

“Desejos impuros”

Tamanha manhã que eu não queria
Que não seja eu a ver tuas horas minguarem
Que não seja eu a sentir tua brisa lambendo-me o rosto
Que não seja eu a despertar nessa manhã tamanha
E que entardeça-me as horas soltas
Anoiteçam-me os dias todos
E que a lua beije-me a face boemia
E que a noite venda-me seu corpo escuro
Amante dos meus desejos impuros
E todo o aço noturno
Que afia a lamina poesia
Penetre-me a carne naufragada
Nos copos cheios de alegria
Embriagando-me a própria alma
Permitindo-me esquecer
A própria vida.






® Varley Farias Rodrigues

Varley
Enviado por Varley em 16/09/2006
Reeditado em 19/11/2006
Código do texto: T241311

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Varley Farias Rodrigues). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Varley
Fortaleza - Ceará - Brasil, 53 anos
127 textos (5448 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 01:32)
Varley