Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Doidivana

Doidivana, leviana, onde vais que não respondes?
Sou a dama do vento, ando não sei por onde...
Doidivanas, levaina, que te pertence?
Nada tenho, nada sigo, quase tudo enfim consigo...
Noites turvas namoro a lua.
Sem pertences, sem escudos, paulatinamente um mundo...
Tudo em si, em meio, enfim...
Nada sobre e apesar de mim.
Quero a sorte da gota de um orvalho...
Cicatriz de hortência.
Tatuagem no verbo nú.
Doidivana, leviana.
Desprovida e acolhida pela tempestade da sorte
Sempre a tempo.
Luvas e corais.
Doidivana, leviana.
Voa tempo e vem um jamais.
Traçando um risco infinito que parece não ter sentido.
Doidivana, leviana.
À sombra da moita escura.
Noite da vida, doidivana...
E tudo parece ser seu!

Alyne Roberta Neves Costa
Enviado por Alyne Roberta Neves Costa em 25/01/2005
Código do texto: T2423

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (citar a autoria de Alyne Roberta Neves Costa). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Alyne Roberta Neves Costa
Salvador - Bahia - Brasil, 45 anos
28 textos (2608 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/09/16 17:50)
Alyne Roberta Neves Costa