Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A TARDE VESTE VERDE

Não precisas querer nada,
ela te diz o que deve ser visto,
tinge o horizonte de esperança
e ri com a tua surpresa,
mas depois disfarça
como se ficasse envergonhada.

A tarde é ainda donzela,
vive encontrando cores
como se as semeasse
por cima dos montes,
dos vales em profusão
e recolhendo-as,
voltasse a pintar
com tons mais suaves,
formas delicadas que a noite recolhe.

Amo a tarde que se faz menina
para ser admirada
e brinca com meu coração enamorado,
namorando-o.
Bebo em suas mãos
o brilho suave do seu olhar.

A tarde veste verde.
José Luongo da Silveira
Enviado por José Luongo da Silveira em 19/09/2006
Reeditado em 19/09/2006
Código do texto: T243920
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Luongo da Silveira
Santa Maria - Rio Grande do Sul - Brasil
78 textos (1180 leituras)
1 e-livros (50 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 10:38)
José Luongo da Silveira