Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MINHA POESIA

És a filha que trago na barriga
gerada nem eu sei há quantos anos
oculta neste ventre que te abriga
sustida plo cordão dos desenganos
 
Semente  grão em mim inseminado
óvulo fecundado em letargia
morosa gravidez  parto adiado
que lentamente dou à luz do dia
 
Me alegra que vás nascendo aos poucos
com gritos de triunfo em cada dia
com risos  choros  e gemidos roucos
sejam de espanto  dor ou alegria
 
Acorda-me do sono que dormi
liberta-me do sonho-pesadelo
bebe-me o seio e cantarei pra ti
o que guardei de mais sublime e belo
 
Meu bem  meu tesouro  meu unguento
minha fonte  meu pão  minha utopia
meu vinho  lenitivo e esquecimento
meu alento e estrela que me guia!

(In Antologia Literária do Cenáculo Marquesa de Valverde
Ano 2002 - Lisboa - Portugal)
Carmo Vasconcelos
Enviado por Carmo Vasconcelos em 17/06/2005
Código do texto: T25291
Classificação de conteúdo: seguro

Áudio
MINHA POESIA - Carmo Vasconcelos
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Carmo Vasconcelos
Lisboa - Lisboa - Portugal
203 textos (15408 leituras)
62 áudios (7662 audições)
15 e-livros (1368 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 18:51)
Carmo Vasconcelos