Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NOVAMENTE POESIA

NOVAMENTE POESIA
(Rita Costa - 02.07.06 -Rio de Janeiro/RJ)

Sinto-me alheia ao passar das horas
Mas entendo essa falta de pressa
Porque também sinto essa brisa leve
Fazendo carícias nas flores do flamboyant
E percebo que ela transforma as nuvens
Em belas e imaginativas formas.

Há no ar o aroma das pitangas
Que mais parecem brilhantes pingentes
Adornando os finos galhos da árvore
Voando em sua direção, passarinhos
Tranqüilos cruzam o céu
Entoando uma suave melodia.

Embaixo dessa imensidão azul
Sinto-me hoje, com a alma quieta
Dia que nada me escapa ao olhar
Aos ouvidos, tudo me apura os sentidos
Por isso entendo essa falta de pressa
E o sentir da vida, outra vez em poesia.
.

 
 
Natureza Poética
Enviado por Natureza Poética em 01/10/2006
Código do texto: T253497

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Citando nome do autor, data, local e link de onde tirou o texto.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Natureza Poética
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
43 textos (3204 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 05:05)
Natureza Poética