Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

10 ANOS DEPOIS...

(Para Susana Sierra)
Queria poder, novamente, investir...
Queria poder te fazer sorrir...
Não dá, não consigo resistir...
Não queria, novamente, me despedir.
 
Ficar sem ti é como estar só.
Fico triste, minha garganta da um nó.
Meu coração parece virar pó
Está triste de dar dó.
 
Será que terei essa capacidade
Ou será que queres apenas minha amizade?
O que sinto, sei, com sinceridade
Me parece que é amor de verdade.
 
Aquele que sempre existiu,
Que não morreu, apenas dormiu...
Que não congelou apesar do frio...
Mas que sofreu quando você mentiu!
 
Amor que ficou guardado
Que não estava morto nem embalsamado.
Que estava há espera de ser despertado
Para voltar ao teu lado.
 
 Jamais te esqueci!
Jamais deixei de rezar por ti!
Jamais, para você, menti!
Por isso, durante 7 anos, sofri!
 
Sofri...como ninguém sofreu!
Sei, deves Ter sofrido como eu.
Mas o que importa é que ele não morreu
Esta a espera de um sorriso teu.
 
Hoje, tudo melhorou...
Toda a minha dor se dissipou...
O que sentia por ti se fortificou...
Até parece que o tempo parou.
 
Durante anos, tentei ser forte.
Mas estive entregue a própria sorte.
Em meu peito havia um corte
Que só cicatrizaria com minha morte.
 
Tentei viver...
Queria parar de sofrer...
Mas no fundo, queria era te dizer
Que não conseguia te esquecer.
 
Conheci pessoas, vivi amores...
Mas era tudo escuro, não haviam cores...
Curei algumas feridas...senti dores...
Tive frio...senti calores...
 
Quanto o telefone tocava
E tua voz, eu, escutava...
Minha voz sumia, minha garganta travava...
E, em um canto, sozinho, eu chorava.
 
...Chorava como criança!
Soluçava...havia perdido a esperança!
Só de escutar tua voz, linda e mansa
Me voltava toda e qualquer lembrança.
 
Quantas vezes quis te falar...
Quantas vezes quis me confessar.
Dizer que, em ti, não parava de pensar.
E que queria, para teus braços, voltar.
 
Por quantas vezes chorei...
Sei que também errei!
E hoje, quanto te reencontrei
Senti algo que nem sei.
 
Estou disposto a lutar...
Estou disposto a te esperar...
Não importa se vais demorar,
E nem com quem vais estar.
 
O que sentimos, penso, ainda existe
E, apesar do tempo, ainda resiste.
É algo forte que não desiste...
é um amor que persiste.
 
Peço que penses com atenção!
Não com a cabeça, mas com o coração.
Não deixes que seja em vão
Toda essa nossa paixão.
 
Será que sinto tudo isso sozinho?
Será que não me tens o mesmo carinho?
Será que sentiste o mesmo gostinho
Enquanto estava, de ti,  juntinho?
 
Será que existe algum sentimento?
Será que ainda estou em teu pensamento?
No meu, estivestes em todos os momentos,
Como se eu fosse uma pluma e tu o vento.
 
Que Deus te proteja...
Que seja o que o destino deseja.
Se tiver que ser que seja...
Mas é a ti que meu coração almeja.
 
Alguns minutos foram o bastante,
Perto de ti, qualquer instante...
Pois, para mim, sempre fos-te interessante
Mesmo que distante.
 
Queria saber se tenho direito!
Devo acreditar que tudo pode ser refeito?
Será que podemos Ter jeito?
Será que seria perfeito?
 
Escrevi isto, não parei!
Não reli, nem repassei.
Mas o que escrevi, eu bem sei...
É  tudo que, te falar, sempre, desejei.
 
As palavras foram saindo.
Meu coração ditando e eu traduzindo.
Foi-se tudo o que estou sentindo
Não penses que estou mentindo.
 
O que estava entalado...
O que havia, por anos, me sufocado.
Era algo que me deixava chateado,
Pois, por ti, sempre fui apaixonado.
 
Das que escrevi em minha vida,
Esta, por certo, foi a mais comprida.
Era preciso, pois tinha que sarar a ferida
E  te dizer que ainda és muito querida.
 
Seu tamanho é para compensar
Tudo o que deixei de te falar...
Tudo o que deixei de te expressar...
Por cada minuto que deixei de te olhar.
Apenas um Poeta
Enviado por Apenas um Poeta em 18/06/2005
Código do texto: T25611

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Apenas um Poeta
Angola, 43 anos
139 textos (17324 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 13:31)
Apenas um Poeta